O poder do periódico científico na construção da representação de pesquisa científica

  • Iracema Raimunda Brito Neves Aragão UEFS
  • Gilberto de Andrade Martins Universidade de São Paulo (USP)
  • Valdir Heitor Barzotto Universidade de São Paulo (USP)
Palavras-chave: Periódico contábil, representações sociais, produção científica

Resumo

Objetivo: Conhecer a concepção de produção científica representada por meio da política da Revista Contabilidade e Finanças (RC&F).

Método: O estudo tem abordagem qualitativa e quantitativa. O trabalho descritivo foi desenvolvido por meio da análise de conteúdo de Bardin (2016) e por meio do software UCINET 6. As inferências foram realizadas por meio da estatística básica (percentuais).

Resultados: Os editores associados da RC&F são conselheiros de expressiva força ideológica no periódico. Os atributos relevância e ineditismo alicerçam a concepção de produção científica da RC&F, tal concepção guarda influência da Universidade de São Paulo, e de outras entidades técnicas, de educação e pesquisa nacionais e internacionais.

Contribuições: Os atributos norteadores da concepção de ciência veiculada pela RC&F podem gerar ruídos de comunicação por causa da subjetividade que esses expressam. Fato que pode acarretar em reprodução de temáticas, metodologias e teorias na busca um modelo de produção científica “relevante”, apesar de constar da política editorial da revista a ideologia do ineditismo e da “pluralidade ontológica e epistemológica”. Percebe-se efeito “propagandístico” pelo uso dos verbos divulgar e disseminar. Além disso, os artigos precisam ser inéditos e teóricos, já os trabalhos requerem o atributo teórico-empírico, ainda que na prática a RC&F.

Biografia do Autor

Iracema Raimunda Brito Neves Aragão, UEFS

Professora assistente da UEFS. Doutoranda em Controladoria e Contabilidade da FEA/USP.

Referências

Associação Brasileira de Normas Técnicas. (2003). NBR 6021: Publicação periódica científica impressa. Rio de Janeiro.

Aragão, I. R. B. N. (2016). Hegemonia do discurso científico contábil no Brasil (Doctoral dissertation, Universidade de São Paulo).

Associação Nacional de Pós-graduação e Pesquisa em Administração. (2010). Boas práticas da publicação Científica: um manual para autores, revisores, editores e integrantes de Corpos Editoriais. Retrieved from www.anpad.org.br/diversos/boas_praticas.pdf

Bardin, L. (2016). Análise de Conteúdo. São Paulo: Edições 70.

Chauí, M. (2001). O que é ideologia. Rev. e ampl. São Paulo: Brasiliense.

Cunha, J. V. A. D., Cornachione Jr, E. B., & Martins, G. D. A. (2008). Pós-graduação: o curso de doutorado em ciências contábeis da FEA/USP. Revista Contabilidade & Finanças, 19 (48), 6-26.

Fiorin, J. L. (1993). Linguagem e ideologia. Editora Ática.

Flick, U.(2009). Desenho da pesquisa qualitativa. Porto Alegre: Artmed.

Frezatti, F., do Nascimento, A. R., & Junqueira, E. (2009). Desenvolvimento da pesquisa em Contabilidade Gerencial: as restrições da abordagem monoparadigmática de Zimmerman. Revista Contabilidade & Finanças, 20 (49), 6-24.

Gomes, V. P. (2010). O Editor de Revista Científica: desafios da prática e da formação. Informação & Informação, v. 15, n. 1, p. 147-172.

Gruszynski, A, C., Golin, C. & Castedo, R. (2008). Produção editorial e comunicação científica: uma proposta para edição de revistas científicas. E-Compós, 11 (2), 1-17.

Jodelet, D. (1986). La representacion social: fenomenos, concepto y teoria. In Moscovici, S. (Ed.), Psicología social II (pp. 469-494). Barcelona: Ediciones Paidós.

Jodelet, D.(2001). Representações Sociais: um domínio em expansão. In: Jodelet, D. (Org.). As representações sociais. Rio de Janeiro: EDUERJ, p. 17-44.

Koch, I. G. V. Argumentação e linguagem. Cortez Editora, 1999.

Lane, S. T. M. (1984). A Psicologia social e uma nova concepção de homem para a Psicologia. In Lane, S. T. M. & Codo, W. (Eds.), Psicologia social: o homem em movimento (pp. 10-19). S.P.: Brasiliense.

Marková,

Modesto, A. T. T. (2014). Linguagem, ideologia e preconceito linguístico na sociedade. Revela, 2 (1), 1-27.

Moscovici, S. (2012). Representações sociais: investigações em psicologia social. Tradução Pedrinho A. Guareschi. Petrópolis: Vozes, 404p.

Moscovici.(2001). Das representações coletivas às representações sociais: elementos para uma história. İn: JODELET, Denise (Org.). As representações sociais. EdUerj: Rio de Janeiro, p. 45-64.

Meadows, A. J.(1999). A comunicação científica. Brasília: Briquet de Lemos.

Morin, E. (2005). Ciência com consciência. (M. D. Alexandre, & M. A. Dória, Trads.) Rio de Janeiro: Bertrand Brasil.

Oliveira, M. C. (2002). Análise dos periódicos brasileiros de contabilidade. Revista Contabilidade & Finanças, 13 (29), 68-86.

Paula, A. da S. de., Kodato, S. (2016). Psicologia Social e representações sociais: uma aproximação histórica. Revista de Psicologia da IMED. 8(2), 200-207.

Rodrigues, R. S., Quartiero, E., & Neubert, P. (2015). Periódicos Científicos Brasileiros indexados na Web Of Science e Scopus: estrutura editorial e elementos básicos.

Informação & Sociedade: Estudos, 25 (2), 117–138.

Sá, C. P.(1993). Representações sociais: o conceito e o estado atual da teoria. In: SPINK, Mary Jane (Org.). O conhecimento no cotidiano: as representações sociais na perspectiva da psicologia social. São Paulo: Brasiliense, p. 19-45.

Santos Filho, G. M. dos (2016). A ciência é uma ideologia?. Intelligere, Revista de História Intelectual, 2(1), 100-111.

Silva, E. A. da.(2017). Entre discursos e práticas: representações sociais de professores sobre a socialização na Educação Infantil. 2017. 156 f., il. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade de Brasília, Brasília.

Targino, M. das G. (2000). Comunicação Científica: uma revisão de seus elementos básicos. Informação & Sociedade: Estudos, 10 (2), 37-85.

Targino, M. C. (2016). Produção e comunicação científica como estratégias de formação

profissional do cientista da informação. Ciências da Informação, 45 (1), 127-140.

Tobochnik, J. (2008). The art of doing. American Journal of Physics, 76(8), p. 701.

Trzesniak, P. (2009). A Estrutura editorial de um periódico científico. In Publicar em Psicologia: um Enfoque para a Revista Científica (pp. 87–102). São Paulo: Associação Brasileira de Editores Científicos de Psicologia; Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo.

Vasconcellos, V. G. (2017). Editorial: a função do periódico científico e do editor para a produção do conhecimento no Direito e nas ciências criminais. Revista Brasileira de Direito Processual Penal, 3(1), 9-17.

Wurman, R. S. (1992). Ansiedade de informação. São Paulo: Cultura.

http://www.revistas.usp.br/rcf/about /history. Acesso em: 19 jun. 2015.

Publicado
29-03-2019
Como Citar
Raimunda Brito Neves Aragão, I., Martins, G. de A., & Barzotto, V. H. (2019). O poder do periódico científico na construção da representação de pesquisa científica. Revista De Educação E Pesquisa Em Contabilidade (REPeC), 13(1). https://doi.org/10.17524/repec.v13i1.2071
Seção
Artigos