Intenção Empreendedora e Motivação para Aprender de Estudantes do Curso de Ciências Contábeis

Autores

  • Cristiane Krüger Universidade Federal de Santa Maria/Professora do Curso de Ciências Contábeis
  • Graziele Medianeira Cavalheiro Universidade Federal de Santa Maria
  • Vinícius Costa da Silva Zonatto Universidade Federal de Santa Maria/Departamento de Ciências Contábeis
  • Fabíola Kaczam Universidade Federal de Santa Maria

DOI:

https://doi.org/10.17524/repec.v15i4.2795

Palavras-chave:

Comportamento empreendedor; , ensino-aprendizagem em Ciências Contábeis;, Contabilidade comportamental.

Resumo

Objetivo: Analisar a relação entre intenção empreendedora e motivação para aprender dos estudantes de Ciências Contábeis da Universidade Federal de Santa Maria.
Método: Ancorada na Teoria do Comportamento Planejado, tem-se como base teórica a intenção empreendedora de Liñán e Chen (2009) e a motivação para aprender de Tho (2017). Deste modo, a pesquisa é quantitativa, descritiva, tipo survey. Os dados foram obtidos por meio da aplicação do Questionário de Intenção Empreendedora (Liñán & Chen, 2009) e do Questionário de Motivação para Aprender (Tho, 2017). Participaram da pesquisa 219 alunos do curso pesquisado. Os dados foram tabulados e analisados estatisticamente.

Resultados: Os resultados revelaram que a motivação para aprender, percepção comportamental e intenção empreendedora dos acadêmicos são moderadas, enquanto que atitude pessoal e normas subjetivas apresentam-se em razão alta. Além disso, não houve correlação significativa entre os constructos de motivação para aprender e intenção empreendedora. Ao aprofundar as análises, por meio de regressão, evidenciou-se que a intenção empreendedora influencia a motivação para aprender.

Contribuições: O presente estudo contribui para a compreensão de aspectos comportamentais dos alunos de Ciências Contábeis, oportunizando e incentivando o desenvolvimento de um comportamento mais motivado a apreender e empreender.

Biografia do Autor

Cristiane Krüger, Universidade Federal de Santa Maria/Professora do Curso de Ciências Contábeis

Doutora em Administração. Cristiane.kruger@ufsm.br. Professora Adjunta do Curso de Ciências Contábeis. Universidade Federal de Santa Maria. Santa Maria – RS, Brasil. https://orcid.org/0000-0003-2271-6432

Graziele Medianeira Cavalheiro, Universidade Federal de Santa Maria

Bacharela em Ciências Contábeis pela Universidade Federal de Santa Maria.

Vinícius Costa da Silva Zonatto, Universidade Federal de Santa Maria/Departamento de Ciências Contábeis

Pós Doutor em Ciências Contábeis pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos - UNISINOS (2016). Possui doutorado em Ciências Contábeis e Administração (2014) e mestrado em Ciências Contábeis (2008) pela Universidade Regional de Blumenau - FURB (2008), especialização lato sensu em Auditoria e Perícia pela Universidade de Cruz Alta - UNICRUZ (2006), especialização lato sensu em Administração de Recursos Humanos pela Universidade do Contestado - UnC (2005) e graduação em Ciências Contábeis pela Universidade de Passo Fundo - UPF (2004). É membro da Academia de Ciências Contábeis do Rio Grande do Sul (ACCRGS) e da Academia Soledadense de Letras (ASL). É Professor Adjunto da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) e coordenador substituto do curso de Ciências Contábeis. Atua na Linha de Pesquisa em Controladoria e Controle de Gestão, sendo Líder do Grupo de Pesquisa 'Pesquisas em Controladoria, Contabilidade Comportamental e Sistemas de Controle Gerencial' (UFSM), e membro pesquisador dos Grupos de Pesquisa 'Pesquisas em Controladoria e Sistemas de Informações Gerenciais' e 'Pesquisas em Controle Gerencial' (FURB), registrados no CNPQ. Atuou como vice coordenador do Programa de Pós-graduação em Ciências Contábeis (04/2017 a 04/2018) e como chefe do departamento de Contabilidade da FURB (07/2015 a 04/2018), e como coordenador do curso de Ciências Contábeis da Faculdade Dom Alberto (01/2009 a 03/2012). Atua como revisor de projetos de agência de fomento (FAPESC), avaliador de periódicos especializados em Administração e Ciências Contábeis e em Eventos Científicos da área. É autor de projetos de pesquisa com fomento externo (CNPQ, FAPESC), de capítulos de livros, artigos publicados em periódicos e trabalhos socializados em anais de eventos científicos. Tem experiência na área de Ciências Contábeis e Administração, atuando principalmente nos seguintes temas: Contabilidade Comportamental, Controladoria, Controles de Gestão, Gestão de Riscos, Orçamento Empresarial, Sistemas de Custos e Sistemas de Controle Gerencial. http://lattes.cnpq.br/1916486402947867

Fabíola Kaczam, Universidade Federal de Santa Maria

Mestre em Engenharia de Produção pelo Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção da Universidade Federal de Santa Maria, Campus Sede (2019). Licenciada em Educação profissional (PEG-UFSM 2020). Engenheira de Produção pela Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Campus Medianeira (2016). Graduanda em Administração pela UFSM.

Referências

Ajzen, I. (1991). The theory of planned behavior. Organizational Behavior and Human Decision Processes, 50(2), 179-211. Doi: https://doi.org/10.1016/0749-5978(91)90020-T

Ajzen, I. (2001). Nature and operation of attitudes. Annual Review of Psychology, 52(1), 27-58. Doi:https:// doi.org/10.1146/annurev.psych.52.1.27

Bandura, A. (1982). Self-efficacy mechanism in human agency. American Psychology, 37(2), 122-147. Doi: https://doi.org/10.1037/0003-066X.37.2.122

Barak, M., Watted, A., & Haick, H. (2016). Motivation to learn in massive open online courses: Examining aspects of language and social engagement. Computers & Education, 94, 49-60. Doi:https://doi. org/10.1016/j.compedu.2015.11.010

Becker, J. L. (2015). Estatística básica: transformando dados em informação. Bookman Edit.

Beck, F., & Rausch, R. B. (2015). Fatores que influenciam o processo ensino-aprendizagem na percepção de discentes do curso de Ciências Contábeis. Contabilidade Vista & Revista, 25(2), p. 38-58. Recuperado de https://revistas.face.ufmg.br/index.php/contabilidadevistaerevista/article/view/1727

Cantner, U., Goethner, M., & Silbereisen, R. K. (2017). Schumpeter’s entrepreneur – A rare case. Journal of Evolutionary Economics, 27(1), 187-214. Doi: https://doi.org/10.1007/s00191-016-0467-3

Cavalcante, C. H. L. (2012). Percepção dos alunos iniciantes e concluintes do curso de Ciências Contábeis sobre a profissão contábil. Revista Brasileira de Contabilidade, 177, 50-63.

Cole, M. S., Harris, S. G., & Feild, H. S. (2004). Stages of Learning Motivation: Development and Validation of a Measure 1. Journal of Applied Social Psychology, 34(7), p. 1421-1456. Doi: https:// doi.org/10.1111/j.1559-1816.2004.tb02013.x

Fayolle, A., & Liñán, F. (2014). The future of research on entrepreneurial intentions. Journal of Business Research, 67(5), 663-666. Doi: https://doi.org/10.1016/j.jbusres.2013.11.024

Gieure, C., Benavides-Espinosa, M. D. M., & Roig-Dobón, S. (2020). The entrepreneurial process: the link between intentions and behavior. Journal of Business Research, 112, 541-548. Doi: https://doi. org/10.1016/j.jbusres.2019.11.088

Gopalan, V., Bakar, J. A. A., Zulkifli, A. N., Alwi, A., & Mat, R. C. (2017). A review of the motivation theories in learning. In: The 2nd International Conference on Applied Science and Technology 2017 (ICAST’17). AIP Conference Proceedings 1891.

Hair Jr., J. F., Black, W. C., Babin, B. J., Anderson, R. E., & Tatham, R. L. (2009). Análise multivariada de dados. 6. ed. Porto Alegre: Bookman.

Hecke, A. P. (2011). A intenção empreendedora dos alunos concluintes dos cursos de graduação em Administração em Ciências Contábeis das instituições de ensino superior de Curitiba-PR. Dissertação de Mestrado (Contabilidade), UFPR, Curitiba, PR, Brasil.

Hulley, S. B., Cummings, S. R., Browner, W. S., Grady, D., Hearst, N., & Newman, T. B. (2003). Delineando a pesquisa clínica: uma abordagem epidemiológica. (2a ed.). Porto Alegre: Editora Artmed.

Iwu, C. G., Oputeb, P. A., Nchuc, R., Eresia-Ekef, C., Tengehc, R. K., Jaiyeobad, O., & Aliyue, O. A. (2019). Entrepreneurship education, curriculum and lecturer-competency as antecedents of student entrepreneurial intention. The International Journal of Management Education, 100295. Doi: https://doi.org/10.1016/j.ijme.2019.03.007

Jena, R. K. (2020). Measuring the Impact of Business Management Student’s Attitude towards Entrepreneurship Education on Entrepreneurial Intention: A Case Study. Computers in Human Behavior, 107, 106275. Doi: https://doi.org/10.1016/j.chb.2020.106275

Krueger, N. F. (2017). Entrepreneurial intentions are dead: Long live entrepreneurial intentions. In Brännback, M. & Carsrud, A. L. (Eds). Revisiting the entrepreneurial mind (p. 13-34). Switzerland: Springer, Cham.

Krueger, N. F., Reilly, M. D., & Carsrud, A. L. (2000). Competing models of entrepreneurial intentions. Journal of Business Venturing, 15, 411-432. Doi: https://doi.org/10.1016/S0883-9026(98)00033-0

Krüger, C. (2019). Modelo de mensuração do comportamento empreendedor a partir de características comportamentais e intenção empreendedora. Tese de Doutorado (Administração). UFSM, Santa Maria, RS, 2019.

Krüger, C., Bürger, R. E., & Minello, I. F. (2019). O papel moderador da educação empreendedora diante da intenção empreendedora. Revista Economia & Gestão, 19(52). Doi: https://doi.org/10.5752/ P.1984-6606.2019v19n52p61-81

Krüger, C., Borré, M. L., Lopes, L. F. D. & Michelin, C. F. (2021). O binômio liderança-empreendedorismo: uma análise a partir do comportamento planejado. Perspectivas Online: Humanas & Sociais Aplicadas, 11(31), 26-45. Doi: https://doi.org/10.25242/8876113120212305

Liñán, F., & Chen, Y. W. (2009). Development and cross–cultural application of a specific instrument to measure entrepreneurial intentions. Entrepreneurship theory and practice, 33(3), 593-617. Doi: https://doi.org/10.1111/j.1540-6520.2009.00318.x

Liñán, F., Rodríguez-Cohard, J. C., & Rueda-Cantuche, J. M. (2011). Factors affecting entrepreneurial intention levels: a role for education. International Entrepreneurship and Management Journal, 7(2),195-218. Doi: https://doi.org/10.1007/s11365-010-0154-z

Liñán, F., & Fernandez-Serrano, J. (2014). National culture, entrepreneurship and economic development: different patterns across the European Union. Small Bus. Econ, 42, 685–701. Doi: https://doi. org/10.1007/s11187-013-9520-x

Loiola, E., Gondimi, S. M. G., Pereira, C. R., & Ferreira, A. S. M. (2012). Ação planejada e intenção empreendedora entre universitários: analisando preditores e mediadores. Revista Psicologia Organizações e Trabalho, 16(1). Doi: https://doi.org/10.17652/rpot/2016.1.706

Lopes, L. F. D. (2016). Métodos quantitativos. 1. ed. Universidade Federal de Santa Maria.

Lourenço, A. A., & Paiva, M. O. A. de. (2010). A Motivação Escolar e o Processo de Aprendizagem. Ciências & Cognição, 15(2). Recuperado de http://cienciasecognicao.org/revista/index.php/cec/ article/view/313

Malacarne, R., Brunstein, J., & Brito, M. D. (2014). Formação de técnicos agropecuários empreendedores: o caso do IFES e sua participação na OBAP. REGEPE, 3(2), 20-41. Doi: http://dx.doi.org/10.14211/ regepe.v3i2.125

Marion, J. C. (1996). O ensino de contabilidade. São Paulo: atlas.

Minello, I. F., Bürger, R. E., & Krüger, C. (2017). Características comportamentais empreendedoras: um estudo com acadêmicos de Administração de uma universidade brasileira. Revista de Administração da Universidade Federal de Santa Maria, 10, 72-91. Doi: http://dx.doi.org/10.5902/19834659 24894

Mirjana, P. B., Ana, A., & Marjana, M. S. (2018). Examining determinants of entrepreneurial intentions in Slovenia: applying the theory of planned behaviour and an innovative cognitive style. Economic Research-Ekonomska Istrazivanj, 31, 1453-147. Doi: https://doi.org/10.1080/133167 7X.2018.1478321

Morales, J. F., Rebolloso, E., & Moya, M. (1994). Actitudes. Em J. F. Morales (Ed.), Psicología Social. Madrid, España: McGraw-Hill, p. 495-621.

Moreira, H., & Caleffe, L. G. (2008). Metodologia da pesquisa para o professor pesquisador. 2. ed. Rio de Janeiro: Lamparino.

Nguyen, T. T. M., & Nguyen, T. D. (2010). “Determinants of learning performance of business students in a transitional market”, Quality Assurance in Education, 18(4), p. 304-316. Doi: https://doi. org/10.1108/09684881011079152

Oliveira, B. M. F., Vieira, D. A., Laguía, A., Moriano, J. A., & Soares, V. J. S. (2016). Intenção empreendedora em estudantes universitários: adaptação e validação de uma escala (QEI). Avaliação Psicológica, 15(2) 187-196. Doi: https://doi.org/10.15689/ap.2016.1502.07

Omri, A. (2020). Formal versus informal entrepreneurship in emerging economies: the roles of governance and the financial sector. Journal of Business Research, 108, 277-290. Doi: https://doi.org/10.1016/j. jbusres.2019.11.027

Özpeynirci, R. Yücenurşen, M., Apakc, I., & Polatc, Y. (2015). A Comparative Analysis of Accounting Education’s Effectiveness with the Balanced Scorecard Method: A Case Study of KMU. Procedia- Social and Behavioral Sciences, 174, 1849-1858. Doi: https://doi.org/10.1016/j.sbspro.2015.01.847

Paiva, A. L., Andrade, D. M., Antonialli, L. M., & Brito, M. J. (2018). Strategic entrepreneurship: observations from the practices of cachaça certification. RAM. Revista de Administração Mackenzie, 19(2), eRAMG180099. Doi: https://doi.org/10.1590/1678-6971/eramg180099

Pansera, S. M., Valentini, N. C., Souza, M. S., & Berleze, A. (2016). Motivação intrínseca e extrínseca: diferenças no sexo e na idade. Psicologia Escolar e Educacional, SP. 20(2), Maio/Agosto, 313-320. Doi: https://doi.org/10.1590/2175-353920150202972

Porto, R. C., & Gonçalves, M. P. (2017). Motivação e envolvimento acadêmico: um estudo com estudantes universitários. Psicologia Escolar e Educacional, 21(3) Set/Dez, 515-522. Doi: https://doi. org/10.1590/2175-35392017021311192

Reyad, S., Al-Sartawi, A. M., Badawi, S., & Hamdan, A. (2019). Do entrepreneurial skills affect entrepreneurship attitudes in accounting education. Higher Education, Skills and Work-based Learning, 9, 739-757. Doi: https://doi.org/10.1108/HESWBL-01-2019-0013

Sampieri, R. H., Collado, C. F., & Lucio, M. del P. B. (2013). Metodologia de pesquisa. 5. ed. Porto Alegre: Penso.

Santos, E. A. dos, Moura, I. V., & Almeida, L. B. de. (2018). Intenção dos Alunos em Seguir Carreira na Área de Contabilidade sob a Perspectiva da Teoria do Comportamento Planejado. Revista de Educação e Pesquisa em Contabilidade (REPeC), 12(1). Doi: https://doi.org/10.17524/repec.v12i1.1635

Schaefer, R. (2018). Empreender como uma forma de ser, saber e fazer: o desenvolvimento da mentalidade e do comportamento empreendedores por meio da educação empreendedora. Tese de Doutorado (Administração). UFSM, Santa Maria, RS, Brasil.

Silva, I., Nasu, V., Leal, E., & Miranda, G. (2020). Fatores determinantes da evasão nos cursos de ciências contábeis no Brasil. Revista Gestão Universitária na América Latina - GUAL, 13(1), 48-69. Doi: https://doi.org/10.5007/1983-4535.2020v13n1p48

Silva, L. M. da, Krüger, C., Minello, I. F., & Ghilardi, W. J. (2019). Empregado ou Empresário? A Intenção Empreendedora de Alunos de Graduação em Ciências Contábeis. Saber Humano: Revista Científica da Faculdade Antônio Meneghetti, 9, 77–109. Doi: https://doi.org/10.18815/sh.2019v9n14.355

Souza, A., Avelar, E., Boina, T., & Rodrigues, L. (2009). Ensino da Contabilidade Gerencial: estudo dos cursos de Ciências Contábeis das melhores universidades brasileiras. Revista Contemporânea de Contabilidade, 5(10), 69-90. Doi: 10.5007/2175-8069.2008v5n10p69

Souza, G. H., Santos, P. C. F., Lima, N. C., Cruz, N. J. T. & Lezana, A. G. R. (2016). O potencial empreendedor e o sucesso empresarial: Um estudo sobre elementos de convergência e explicação. Revista de Administração Mackenzie, 17(5), 188-215. Doi: http://dx.doi.org/10.1590/1678-69712016/ administracao.v17n5p188-215

Tho, N. D. (2017). Knowledge transfer from business schools to business organizations: the roles absorptive capacity, learning motivation, acquired knowledge and job autonomy. Journal of Knowledge Management, 21(5), 1240-1253. Doi: https://doi.org/10.1108/JKM-08-2016-0349

Tubbs, M., & Ekerberg, S. (1991). The role of intentions of work motivations: Implications for goal- setting theory and research. Academy of Management Review, 16(1), 180-199. Doi: https://doi. org/10.2307/258611

Vieira, F. D., & Rodrigues, C. S. (2014). Os estudantes de engenharia e as suas intenções empreendedoras. Revista produção online, 14(1), 242-263. Doi: https://doi.org/10.14488/1676-1901.v14.i1.1588

Publicado

2021-12-28

Como Citar

Krüger, C., Medianeira Cavalheiro, G., Costa da Silva Zonatto, V., & Kaczam, F. (2021). Intenção Empreendedora e Motivação para Aprender de Estudantes do Curso de Ciências Contábeis. Revista De Educação E Pesquisa Em Contabilidade (REPeC), 15(4). https://doi.org/10.17524/repec.v15i4.2795