Docência em ciências contábeis no Brasil:

epistemologia, pedagogia e saberes profissionais

  • Wagner Dantas de Souza Junior Unioeste
  • Silvana Anita Walter Universidade Estadual do Oeste do Paraná
  • Sidnei Celerino da Silva Universidade Estadual do Oeste do Paraná
  • Sérgio Adriano Romero Universidade Estadual do Oeste do Paraná
Palavras-chave: Epistemologia do ensino., Modelos pedagógicos., Saberes profissionais.

Resumo

Objetivo: Identificar as teorias epistemológicas, pedagógicas e os saberes necessários à profissão que orientam o perfil dos docentes de ciências contábeis do Brasil. Método: O estudo caracteriza-se como uma pesquisa aplicada, quantitativa, exploratória e descritivo, do tipo levantamento. A coleta de dados foi realizada por meio de um questionário online e os resultados foram analisados com estatística descritiva. A amostra conteve 108 observações. Resultados: Os resultados apontam para as teorias construtivista e ativa como implícitas da aprendizagem docente, os modelos pedagógicos e epistemológicos das pedagogias não-diretiva ou apriorista relacional ou epistemologia relacional como crenças que representam a postura do professor face ao ensino-aprendizado em sala de aula; os quatro saberes prioritários na área são os da disciplina que ministra (conteúdo), experiência da profissão, saberes curriculares e pedagógicos. Contribuições: Espera-se contribuir com o ensino e pesquisa da contabilidade através da reflexão de Instituições de Ensino Superior, professores, e acadêmicos para o avanço da área contábil face a profissionalização docente.

Referências

Alencar Santana, A. L., & Procopio de Araújo, A. M. (2011). Aspectos do perfil do professor de Ciências Contábeis e seu reflexo no Exame Nacional de Desempenho dos estudantes (ENADE) -um estudo nas universidades federais do Brasil. Contabilidade Vista & Revista, 22(4).
Becker, F. (1994). Modelos pedagógicos e modelos epistemológicos. Revista Educação e Realidade, Porto Alegre, v. 19, n. 1, jan./jun.
Brasil, Ministério da Educação e Cultura (MEC). (1998). Lista das Instituições de Ensino Superior Credenciadas. Disponível em: < http://emec.mec.gov.br/> Acesso em julho de 2018;
Carter, K. (1994). Preservice teachers? We remembered. J. Curriculum Studies, 26(3), 235-252.
Catapan, A., Colauto, R. D., & Sillas, E. P. (2012). Percepção dos discentes sobre os docentes exemplares de contabilidade em IES públicas e privadas. RIC-Revista de Informação Contábil-ISSN: 1982-3967, 6(2), 63-82.
Celerino, S., & Pereira, W. F. C. (2008). Atributos e prática pedagógica do professor de contabilidade que possui êxito no ambiente universitário: visão dos acadêmicos. Revista Brasileira de Contabilidade, (170), 64-77.
Cunha, A. M. O. (2001). A mudança epistemológica de professores num contexto de educação continuada. Ciência & Educação, v.7, n.2, p.235-248.
Frauches, P. F. (2015). Docência no Ensino Superior: um perfil dos saberes que fundamentam a prática pedagógica de docentes que atuam em cursos de Ciências Contábeis. Dissertação de Mestrado. FUCAPE Business School.
Freire, P. (1979). Conscientização: teoria e prática da libertação: uma introdução ao pensamento de Paulo Freire. Cortez & Morales.
Gauthier, C., Martineau, S., Desbiens, J. F., Malo, A., & Simard, D. (1998). Por uma teoria da pedagogia: pesquisas contemporâneas sobre o saber docente. Ijuí: Unijuí, 2.
Gimeno, S.J., & Pérez Gómez, A. (1985). La enseñanza: su teoría y su práctica. Madrid: Editorial Akal.
Gregorio, M. P. F., & Pereira, P. S. (2012). Construtivismo e aprendizagem: uma reflexão sobre o trabalho docente. Revista Educação, Batatais, v. 2, n. 1, p. 51-66, jun.
Laffin, M. (2013). Currículo e trabalho docente no curso de Ciências Contábeis. Revista de Contabilidade da UFBA, 6(3), 66-77.
Marconi, M. D. A., & Lakatos, E. M. (2003). Fundamentos de metodologia científica. 5. ed.-São Paulo: Atlas.
Marshall, P. D., Dombrowski, R. F., Garner, R. M., & Smith, K. J. (2010). The Accounting Education gap. The CPA Journal, 80(6), 6.
Mazzioni, S. (2013). As estratégias utilizadas no processo de ensino-aprendizagem: concepções de alunos e professores de ciências contábeis. Revista Eletrônica de Administração e Turismo-ReAT, 2(1), 93-109.
Miranda, G. J. (2011). Relações entre as qualificações do professor e o desempenho discente nos cursos de graduação em Contabilidade no Brasil. Tese de Doutorado. Universidade de São Paulo.
Miranda, G. J., Casa Nova, S. P. D. C., & Cornacchione Júnior, E. B. (2012). Os saberes dos professores-referência no ensino de contabilidade. Revista Contabilidade & Finanças, 23(59), 142-153.
Nogueira, D. R., Nova, S. P. D. C. C., & Carvalho, R. C. O. (2012). O bom professor na perspectiva da geração Y: uma análise sob a percepção dos discentes de Ciências Contábeis. Enfoque: reflexão contábil, 31(3), 37-52.
Nogueira, V., & Fari, M. A. (2007). Perfil do profissional contábil: relações entre formação e atuação no mercado de Trabalho. Perspectivas Contemporâneas, 2(1).
Nossa, V. (1999). Formação do corpo docente dos cursos de graduação em contabilidade no Brasil: uma análise crítica. Caderno de Estudos, (21), 01-20.
Nuñez, I. B., Ramalho, B. L., & Ueharab, F. M. G. (2009). As teorias implícitas sobre a aprendizagem de professores que ensinam Ciências Naturais e futuros professores em formação: a formação faz diferença? Revista Ciências & Cognição, v.14, n.3, p.39-61.
Peleias, I. R., Silva, G. P., Segreti, J. B., & Chirotto, A. R. (2007). Evolução do ensino da contabilidade no Brasil: uma análise histórica. Revista Contabilidade & Finanças, 18(spe), 19-32.
Piaget, J. (1977). Recherches sur l'abstraction réfléchissante. Paris, P.U.F. (2), pp. 153-78.
Pimenta, S. G., & Anastasiou, L. D. G. C. (2002). Docência no ensino superior. Cortez editora.
Puentes, R. V., Aquino, O. F., & Neto, A. Q. (2009). Profissionalização dos professores: conhecimentos, saberes e competências necessários à docência. Educar em Revista, 25(34), 169-184.
Rezende, M. G. D., & Leal, E. A. (2013). Competências requeridas dos docentes do curso de ciências contábeis na percepção dos estudantes. Sociedade, Contabilidade e Gestão, 8(2).
Rodrigo, M. J., Rodríguez, A., & Marrero, J. (1993). Las teorías implícitas. Una aproximación al conocimiento cotidiano. Madrid: Visor.
Scheuer, N., & Pozo, J.I. (2006). Qué cambia en las teorías implícitas sobre el aprendizaje y la enseñanza? Dimensiones y procesos del cambio representacional. Em: J.I. Pozo, Scheuer, N., Pérez Echeverría, M.P., Mateos, M., Martín, E., & de la Cruz, M. (Eds.) Nuevas formas de
pensar la enseñanza y el aprendizaje: las concepciones de profesores y alumnos. Barcelona: Graó.
Silva, U. B, Santos, E. B., Cordeiro Filho, J. B., & Bruni, A. L. (2014). Concepções Pedagógicas E Mudanças Nas Práticas Contábeis: Um Estudo Sobre O Modelo Educacional Adotado Em Uma Universidade Publica E A Formação Critico-Reflexiva Do Contador. Revista Contabilidade e Controladoria, 6(2).
Slomski, V. G. (2007). Saberes e competências do professor universitário: contribuições para o estudo da prática pedagógica do professor de Ciências Contábeis do Brasil. Revista de Contabilidade e Organizações, 1(1), 89-105.
Slomski, V. G., & Andrade Martins, G. (2008). O conceito de professor investigador: os saberes e as competências necessárias à docência reflexiva na área contábil. Revista Universo Contábil, 4(4), 06-21.
Slomski, V. G., de Lames, E. R., Megliorini, E., & Lames, L. D. C. J. (2013). Saberes da docência que fundamentam a prática pedagógica do professor que ministra a disciplina de gestão de custos em um curso de Ciências Contábeis. Revista Universo Contábil, 9(4), 71-89.
Vasconcelos, A. F., Cavalcante, P. R. N., & Monte, P. A. (2013). Fatores que influenciam as competências em docentes de Ciências Contábeis. Veredas Favip-Revista Eletrônica de Ciências, 5(1-2).
Publicado
02-10-2019
Como Citar
Souza Junior, W. D. de, Walter, S. A., Silva, S. C. da, & Romero, S. A. (2019). Docência em ciências contábeis no Brasil:. Revista De Educação E Pesquisa Em Contabilidade (REPeC), 13(3). https://doi.org/10.17524/repec.v13i3.2006
Seção
Artigos