Compreensão dos Graduandos dos Cursos de Ciências Contábeis Quanto aos Conceitos Relevantes Ensinados na Disciplina de Teoria da Contabilidade em IES da Grande Florianópolis

Fabiana Frigo Souza, Ernesto Fernando Rodrigues Vicente

Resumo


Esta pesquisa tem como objetivo identificar a compreensão dos graduandos do curso de Ciências Contábeis quanto aos conceitos relevantes ensinados na disciplina de Teoria da Contabilidade. Para o atingimento desse objetivo foi elaborado um questionário enviado a instituições selecionadas ou aplicado presencialmente, obtendo um total de 65 respondentes que já haviam cursado a disciplina de Teoria da Contabilidade. Os resultados dessa pesquisa mostram que os alunos percebem os conceitos relacionados à disciplina de forma mais ligada à normatização e que, pela maior parte dos respondentes, a disciplina Teoria da Contabilidade foi considerada de fundamental importância, não devendo ser eliminada. Além disso, não se pode afirmar que exista relação entre a área e o tempo de atuação dos respondentes com as suas percepções relativas aos conceitos da disciplina. Observou-se ainda que há pouca discussão sobre alguns temas, em que alguns alunos os desconhecem totalmente, como no caso da Teoria da Agência e de Earnings Management, o que pode indicar um gap quanto ao ensino da disciplina. Para futuras pesquisas sugere-se analisar o ensino a distância e pesquisas que busquem analisar a existência desse possível gap observado.

Palavras-chave


Teoria da Contabilidade; Ensino de Contabilidade; Conceitos Relevantes

Texto completo:

PORTUGUÊS

Referências


Antunes, M. T. P., & Martins, E. (2002). Capital intelectual: verdades e mitos. Revista Contabilidade & Finanças, 13(29), pp. 41-54. http://dx.doi.org/10.1590/S1519-70772002000200003

Bae, B., & Sami, H. (2005). The effect of potential environmental liabilities on earnings response coefficients. Journal of Accounting, Auditing & Finance, 20(1), pp. 43-70.

Barth, M. E. (2008). Global financial reporting: Implications for US academics. The Accounting Review, 83(5), pp. 1159-1179. http://dx.doi.org/10.2308/accr.2008.83.5.1159

Beck, F., & Rausch, R. B. (2015). Fatores que influenciam o processo ensino-aprendizagem na percepção de discentes do curso de ciências contábeis. Contabilidade Vista & Revista, 25(2), pp. 38-58.

Bezerra, C. G. (2015). Um estudo da disciplina Teoria da Contabilidade em instituições de ensino superior públicas da grande Florianópolis considerando a ementa da disciplina e a satisfação dos alunos. In Congresso UFSC de Controladoria e Finanças, 6.

Bezerra, C. G. (2015). Um estudo da disciplina Teoria da Contabilidade em instituições de ensino superior públicas da grande Florianópolis considerando a ementa da disciplina e a satisfação dos alunos. Anais do Congresso UFSC de Controladoria e Finanças, Florianópolis, SC, Brasil, 6.

Borba, J. A., Poeta, F. Z., & Vicente, E. F. R. (2011). Teoria da contabilidade: uma análise da disciplina nos programas de mestrado brasileiros. Sociedade, Contabilidade e Gestão, 6(2).

BRASIL. Resolução nº 3, de 5 de outubro de 1992 (2004). Fixa os mínimos de conteúdo e duração do curso de graduação em Ciências Contábeis. Conselho Federal de Educação. Brasília, DF, s. 1, p. 15.

Calixto, L. (2006). O ensino da contabilidade ambiental nas universidades brasileiras: um estudo exploratório. Revista Universo Contábil, 2(3), pp. 65-78.

Cardoso, R. L., Pereira, C. A., & Guerreiro, R. (2007). Perfil das pesquisas em contabilidade de custos apresentadas no EnANPAD no período de 1998 a 2003. Revista de Administração Contemporânea, 11(3), pp. 177-198. http://dx.doi.org/10.1590/S1415-65552007000300009

Comitê de Pronunciamentos Contábeis (CPC). Combinação de Negócios. Recuperado em 30 de julho, 2015, de http://www.cpc.org.br/CPC.

Comitê de Pronunciamentos Contábeis (CPC). Estrutura Conceitual para Elaboração e Divulgação de Relatório Contábil-Financeiro. Recuperado em 30 de julho, 2015, de http://www.cpc.org.br/CPC.

Comitê de Pronunciamentos Contábeis (CPC). Receitas. Recuperado em 30 de julho, 2015, de http://www.cpc.org.br/CPC.

Creswell, J. W., Hanson, W. E., Plano, V. L. C., & Morales, A. (2007). Qualitative research designs selection and implementation. The counseling psychologist, 35(2), pp. 236-264. http://dx.doi.org/10.1177/0011000006287390

Cunha, L. C., Borgert, A., Richartz, F., & Souza, F. R. de (2014). A Disciplina Teoria da Contabilidade em Cursos de Graduação: Percepção de Alunos e Professores. Anais Congresso UFSC de Controladoria e Finanças, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil, 5.

De Araújo, A. M. P., & Andere, M. A. (2006). Análise das Competências do Professor do Ensino Superior em Contabilidade: um estudo exploratório. In Anais do Congresso Brasileiro de Custos-ABC, 13.

De Araújo, A. M. P., & Andere, M. A. (2006). Análise das Competências do Professor do Ensino Superior em Contabilidade: um estudo exploratório. Anais do Congresso Brasileiro de Custos-ABC, Porto de Galinhas, PE, Brasil, 13.

De Carvalho, A. G. (2002). Governança corporativa no Brasil em perspectiva. Revista de Administração da Universidade de São Paulo, 37(3), pp. 19-32.

Fahl, A. C., & Manhani, L. P. De S. (2006). As perspectivas do profissional contábil e o ensino da contabilidade. Revista de Ciências Gerenciais, 10(12), pp. 25-33. http://dx.doi.org/10.17921/1415-6571.2006v10n12p25-33

Ferreira, A. F., Splitter, K., & Borba, J. A. (2012). Teoria da contabilidade: uma disciplina específica ou conhecimentos que deveriam estar integrados em outras disciplinas. Anais Congresso USP de Controladoria e Contabilidade, São Paulo, SP, Brasil, 12.

Franco, H. (1996). Cursos de pós-graduação, educação profissional continuada e valorização da profissão contábil. Revista Brasileira de Contabilidade, 26(103).

Franco, H, & Iudícibus, S. (1983). A contabilidade na era da globalização. São Paulo, Atlas.

Gil, A. C. (2002). Como elaborar projetos de pesquisa. São Paulo, 5.

Hendriksen, E. S., & Van Breda, M. F. (2009). Teoria da contabilidade; tradução de Antônio Zoratto Sanvicente. São Paulo, Atlas.

Inanga, E. L., & Schneider, W. B. (2005). The failure of accounting research to improve accounting practice: a problem of theory and lack of communication. Critical Perspectives on Accounting, 16(3), pp. 227-248. http://dx.doi.org/10.1016/S1045-2354(03)00073-X

Iudícibus, S. de (1997). O verdadeiro significado de uma teoria. Revista Brasileira de Contabilidade, 25(97), pp. 21-23.

Iudícibus, S. de (2009). Teoria da Contabilidade. São Paulo, Atlas, 9.

Iudícibus, S. de (2012). Teoria da Contabilidade: evolução e tendências. Revista de Contabilidade do Mestrado em Ciências Contábeis da UERJ, 17(2), pp. 5-13.

Kam, V. (1986). Accounting theory. New York: Wiley.

Laffin, M. (2002). Ensino da contabilidade: componentes e desafios. Contabilidade Vista & Revista, 13(3), pp. 9-20.

Lima Filho, R. N., & Bruni, A. L. (2012). Percepção dos graduandos em Ciências Contábeis de Salvador (BA) sobre os conceitos relevantes da Teoria da Contabilidade. Revista de Educação e Pesquisa em Contabilidade (REPeC), 6(2), pp. 187-203. http://dx.doi.org/10.17524/repec.v6i2.176

Lopes, A. B., & Iudicibus, S. (2012). Teoria avançada da contabilidade. São Paulo: Atlas, 2.

Madeira, G. J., Mendonça, K. F. C., & Abreu, S. M. (2003). A disciplina teoria da contabilidade nos exames de suficiência e provão. Contabilidade Vista & Revista, Ed. Especial (14), pp. 103-122.

Marion, J. C. (1997). A Disciplina Teoria da Contabilidade nos Cursos de Graduação-Algumas Considerações. Contabilidade Vista & Revista, 8(2), pp. 03-08.

Marion, J. C. (2001). O Ensino da Contabilidade. São Paulo, Atlas, 2.

Matsumoto, A. S., & Parreira, E. M. (2007). Uma pesquisa sobre o Gerenciamento de Resultados Contábeis: causas e consequências. Contabilidade, Gestão e Governança, 10(1), pp. 141-157.

Miranda, C. D. S., Moraes, M. B. D. C., & Nakao, S. H. (2008). O Ensino da Teoria da Contabilidade: uma avaliação em instituições no Estado de São Paulo. Anais Encontro da Associação Nacional de Pós-graduação e Pesquisa em Administração, Rio de Janeiro, RJ, Brasil, 32.

Murcia, F., Rover, S., Souza, F. C. D., & Borba, J. A. (2008). Paradigma atual da ciência contábil: como os docentes de universidades norte-americanas “enxergam a realidade” da pesquisa em contabilidade. In Anais Congresso Associação Nacional dos Programas de Pós-graduação em Ciências Contábeis – ANPCONT, II, p. 1-16.

Murcia, F., Rover, S., Souza, F. C. D., & Borba, J. A. (2008). Paradigma atual da ciência contábil: como os docentes de universidades norte-americanas “enxergam a realidade” da pesquisa em contabilidade. Anais Congresso Associação Nacional dos Programas de Pós-graduação em Ciências Contábeis – ANPCONT, Salvador, Bahia, Brasil, 2, p. 1-16.

Nardi, P. C. C., & Nakao, S. H. (2009). Gerenciamento de resultados e a relação com o custo da dívida das empresas brasileiras abertas. Revista Contabilidade & Finanças, 20(51), pp. 77-100. http://dx.doi.org/10.1590/S1519-70772009000300006

Nascimento, A. M., & Bianchi, M. (2005). Um estudo sobre o papel da controladoria no processo de redução de conflitos de agência e de governança corporativa. In Anais Congresso USP de Controladoria e Contabilidade, São Paulo, SP, Brasil, 5.

Nossa, V. (1999). Ensino da Contabilidade no Brasil: Uma análise crítica da formação do corpo docente. São Paulo. Dissertação de Mestrado. Faculdade de Economia e Administração – USP, São Paulo, SP, Brasil.

Pereira, A. G., Bruni, A. L., Rocha, J. D., Lima Filho, R. N., & Faria, J. A. D. (2010). Teoria dos contratos, governança corporativa e auditoria: delineamentos para a discussão em teoria da contabilidade. Anais do Simpósio de Excelência em Gestão e Tecnologia, Resende, Rio de Janeiro, Brasil, 7.

Piccoli, M. R., Chiarello, T. C., & Klann, R. C. (2015). A percepção dos acadêmicos sobre conceitos abordados na disciplina de Teoria da Contabilidade. Revista de Gestão, Finanças e Contabilidade, 5(1), pp. 40-57.

Pinheiro, F. A. (1997). O Postulado do Usuário: incentivo ao desenvolvimento da Teoria da Contabilidade e do Contabilista. Caderno de Estudos FIPECAFI, 9(16), pp. 59-65. http://dx.doi.org/10.1590/S1413-92511997000300004

Ribeiro, H. C. M. (2013). Revista de contabilidade e organizações: Uma análise bibliométrica e de rede social de 2007 a 2012. Revista Iberoamericana de Contabilidad de Gestion - RIGC, 11(22), pp. 1-18.

Ribeiro, H. C. M. (2014). Revista universo contábil: Uma análise do perfil da produção científica sob a ótica da bibliometria e da rede social de 2005 a 2012. Revista Ambiente Contábil, 6(2), pp. 261-281.

Ribeiro, M. De S., & Lisboa, L. P. (1999). Balanço social. Revista Brasileira de Contabilidade, 115, pp. 1-22.

Rodrigues, A. (2007). Gerenciamento dos resultados contábeis através de receitas e Despesas não-operacionais: estudo empírico das companhias “Nível 1”– Bovespa. Sociedade, Contabilidade e Gestão, 2(1), pp. 5-18.

Santos, A. D., & Grateron, I. R. G. (2003). Contabilidade criativa e responsabilidade dos auditores. Revista Contabilidade & Finanças, 14(32), pp. 7-22. http://dx.doi.org/10.1590/S1519-70772003000200001

Santos, R. D. (2003). "Jogos de empresas" aplicados ao processo de ensino e aprendizagem de contabilidade. Revista Contabilidade & Finanças, 14(31), pp. 78-95. http://dx.doi.org/10.1590/S1519-70772003000100006

Triviños, A. N. S. (1987). Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa em educação. São Paulo, Atlas.

Vasconcellos, M. L. M. C. (1994). O profissional liberal na docência de 3 grau: uma proposta de atualização pedagógica. Dissertação de Mestrado. Universidade Mackenzie, São Paulo, SP, Brasil.




DOI: http://dx.doi.org/10.17524/repec.v11i1.1450

ISSN 1981-8610

Creative Commons License
Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob Creative Commons Attribution 3.0 Unported License.


INDEXADORES
A Revista de Educação e Pesquisa em Contabilidade (REPeC) está indexada nos diretórios e bases que seguem:

    Open Archives Iniciative