APRENDIZADO DE CONTABILIDADE E A PERCEPÇÃO DO CONCEITO DE LUCRO: UM ESTUDO EXPLORATÓRIO

  • LUIS PAULO GUIMARÃES DOS SANTOS Universidade Federal da Bahia
  • SHEIZI CALHEIRA DE FREITAS UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA
  • JOSÉ MARIA DIAS FILHO UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA
Palavras-chave: lucro; aprendizado de contabilidade; custo histórico

Resumo

Objetivo: o estudo procurar verificar se a compreensão do conceito de lucro e valor manifestada pelos indivíduos está associada ao nível de aprendizado formal de contabilidade.

Metodologia: A pesquisa consiste em um estudo de comparação de grupos, mediante a qual foram analisadas três amostras de sujeitos com diferentes níveis de aprendizado em contabilidade. Através de um modelo logístico, investigou-se ainda outros fatores que podem influenciar no entendimento subjacente ao conceito de lucro.

Resultados e contribuições: os resultados sugerem que não existe relação significativa entre a compreensão do conceito de lucro e o nível de aprendizado formal de contabilidade. Entretanto, observou-se que o fato de o sujeito pertencer ao gênero feminino pode exercer influência na maneira como o lucro é compreendido. Esses achados contribuem para a compreensão de como o processo formal de ensino está relacionado ao aprendizado de conceitos contábeis fundamentais e podem ser pode úteis para orientar estratégias de ensino e até mesmo os projetos político-pedagógico dos cursos de Ciências Contábeis.

Referências

Alexander, S. S. (1962). Income measurement in a dynamic economy. In Studies in accounting theory edited by Baxter, W. T. & Davidson, S., Sweet and Maxwell.
Bakhtin, Mikhail. (1997). Marxismo e filosofia da linguagem. Trad. de M. Lahud e Y. F. Vieira. 8. ed. São Paulo: Hucitec.
Bartlett, F. C. (1932). Remembering: A study in experimental and social psychology. Cambridge University Press, Londres.
Belkaoui, Ahmed Riahi (2004). Accounting theory. 5 ed . Cengage Learning EMEA.
Berlo, David K. (1999). O processo da comunicação: introdução à teoria e à prática; tradução Jorge Arnaldo Fontes. 9. ed. São Paulo: Martins Fontes.
Dechow, Patricia M. (1994). Accounting earnings and cash flows as measures of firm performance The role of accounting accruals. Journal of Accounting and Economics, 3-42.
Feldman, Robert S. (2015). Introdução à Psicologia. tradução: Daniel Bueno, Sandra Maria Mallmann da Rosa; revisão técnica: Maria Lucia Tiellet Nunes. – 10. ed. – Porto Alegre: AMGH.
Fisher, Irving. (1930). The Theory of Interest: As determined by impatience to spend income and opportunity ot invest it. NY: The Macmillan Company.
Graham, Willard J. (1965). Some observations on the nature of income, generally accepted accounting principles, and financial reporting. Law & Contemporary Problems, Vol. 30 Issue 4, p652.
Guerreiro, Reinaldo. (1989). Modelo Conceitual de sistemas de informação de gestão econômica: uma contribuição à teoria da comunicação da contabilidade. Tese de Doutorado apresentada à FEA-USP. São Paulo. USP.
Hendriksen, Eldon S. e Breda, Michael F. Van. (1999). Teoria da contabilidade. Tradução de Antônio Zorrato Sanvicente. São Paulo: Atlas.
Hicks, John Richard. (1946). Value and capital, an inquiry into some fundamental principles of economic theory. Second Edition. Oxford At The Clarendon Press.
Holthausen, Robert W. & Watts, Ross. (2001). The relevance of the value-relevance literature for financial reporting standard setting. Journal of Accounting & Economics, Vol. 31, Nos. 1-3, September.
Hopp, J. C.; Leite, H. P. (1988). O crepúsculo do lucro contábil. Revista de Administração de Empresas, v. 28, n. 4, p. 55-63, out./dez.
Jaedick, Robert Keith e Sprouse, Robert T. (1972). Fluxos contábeis: rendas, fundos e capital. Tradução de José Bonifácio da Cruz, revisão e adaptações técnicas do Prof. Celso Abano Costa. São Paulo: Atlas.
Kida, T. E., & Hicks, D. W. (1982). Economic versus Accounting Income: The Impact of Education on Students’ Concepts. The Journal of Economic Education, 13(2), 40. doi:10.2307/1182618 Kothari, S. P. (2001). Capital markets research in accounting. Journal of Accounting and Economics, v. 31, 2001, p. 105-231.
Lee, C. M. C. (1999). Accounting‐Based Valuation: Impact on Business Practices and Research. Accounting Horizons, 13(4), 413–425. doi:10.2308/acch.1999.13.4.413.
Lev, B. (1989). On the Usefulness of Earnings and Earnings Research: Lessons and Directions from Two Decades of Empirical Research. Journal of Accounting Research, 27, 153. doi:10.2307/2491070.
Lewis, Richard; Pendrill, David. (2004). Advanced financial accounting. 7. ed. Glasgow: Financial Times Prentice Hall imprint.
Liang, L., & Riedl, E. J. (2014). The Effect of Fair Value versus Historical Cost Reporting Model on Analyst Forecast Accuracy. The Accounting Review, 89(3), 1151–1177. doi:10.2308/accr-50687.
Most, Kenneth. Accounting theory. (1992). Ohio: Grid. Inc.
Ogden, C. K., Richards, I. A. (1938). The meaning of meaning. Fifth Edition. New York: Harcourt, Brace and Co., 1938.
Papageorgis, D. (1963). Bartlett Effect and Persistence of Induced Opinion Change. Journal of Abnormal and Social Psychology. Vol. LXVII, nº. 1, pp. 61-67.
Peirce, Charles S. (1999). Semiótica. Trad. José Teixeira Coelho Netto. 3. ed. São Paulo: Editora Perspectiva.
RYAN, J. (2008). The Relationship Between Accounting Profit and Economic Income. Australian Accounting Review, 17(43), 33–46. doi:10.1111/j.1835-2561.2007.tb00334.x .
Santaella, Lucia. (1998). A percepção: uma teoria semiótica. 2. ed. São Paulo: Editora Experimento.
Schipper, K., and L. Vincent. (2003). “Earnings Quality”, Accounting Horizons 17, Supplement: 97-100
Schroeder, Richard G; Myrtle, W. Clark; Jack, M. Cathey. (2001). Financial accounting theory and analysis: text readings and cases. 7. ed. New York: John Wiley & Sons.
Solomons, David. (1961). Economic and Accounting Concepts of Income. The Accounting Review, Vol. 36, No. 3, pgs. 681-698.
Sterling, Robert R. (1979). Theory of the measurement of enterprise income. Lawrence: University Press of Kansas.
Watts, R. L. (2003). Conservatism in Accounting Part I: Explanations and Implications. Accounting Horizons, 17(3), 207–221. doi:10.2308/acch.2003.17.3.207.
Zeff, Stephen A.; Keller, Thomas F. (1973). Financial accounting theory I: issues and controversies. New York: McGraw-Hill.
Publicado
31-03-2020
Como Citar
SANTOS, L. P. G. D., FREITAS, S. C., & DIAS FILHO, J. M. (2020). APRENDIZADO DE CONTABILIDADE E A PERCEPÇÃO DO CONCEITO DE LUCRO: UM ESTUDO EXPLORATÓRIO. Revista De Educação E Pesquisa Em Contabilidade (REPeC), 14(1). https://doi.org/10.17524/repec.v14i1.2479
Seção
Artigos