A Visão da Academia e do Mercado de Trabalho sobre o Ensino da Auditoria

Jhonatan Hoff, Luiz Alberton, Rita de Cássia Correa Pepinelli Camargo

Resumo


O objetivo deste trabalho foi identificar a percepção do ensino de auditoria sob o enfoque da academia e do mercado de trabalho, com base na avaliação da importância dada por profissionais e docentes aos principais aspectos conceituais e normativos da área de auditoria. Para alcançar o objetivo proposto, coletou-se a percepção dos docentes responsáveis pela disciplina de auditoria e dos auditores atuantes no mercado de trabalho por meio de um questionário estruturado na forma de uma escala Likert. A amostra da pesquisa compreendeu todas as universidades federais e estaduais que possuem e curso de Ciências Contábeis e todas as empresas de auditoria cadastradas no banco de dados da Comissão de Valores Mobiliários (CVM). As respostas obtidas foram tratadas por meio dos testes não paramétricos de Mann-Whitney e a Correlação de Spearman. Os resultados demonstram, que em, aproximadamente, 75% dos assuntos levantados neste trabalho, a academia tende a corresponder à expectativa que o mercado possui acerca da importância dada a tais conteúdos dentro da disciplina de auditoria. As principais diferenças encontradas dizem respeito a assuntos relacionados ao Assurance Service, Auditoria de Entidades sem Fins Lucrativos, Auditoria de Órgãos Governamentais, Controle de Qualidade e Auditoria de Sistemas de Informação, os quais não recebem a ênfase dentro da academia, de acordo com a perspectiva do mercado. Os resultados aqui apresentados podem ser utilizados para que os professores avaliem a disposição dos conteúdos abordados dentro da disciplina, considerando a relevância atribuída pelo mercado.

Palavras-chave


Ensino; Auditoria; Tópicos de Auditoria

Texto completo:

PORTUGUÊS

Referências


Armitage, J. (2008). Changes in the importance of topics in auditing education: 2000-2005. Managerial Auditing Journal, 23(9), pp. 935-959. doi:10.1108/02686900810908463

Armitage, J. & Poyzer, J. K. (2010). Academicians’ And Practitioners’ Views On The Importance Of The Topical Content In The First Auditing Course. American Journal of Business Education (AJBE), 3(1), pp. 71-82. doi:10.19030/ajbe.v3i1.375

Camargo, R. D. C. C. P., Camargo, R. V. W., Dutra, M. H., & Alberton, L. (2013). A percepção dos audita¬dos em relação às competências comportamentais dos auditores Independentes: um estudo empí¬rico na Região da Grande Florianópolis/SC. Revista de Contabilidade e Organizações, 7(18), pp.37- 47. doi:10.11606/rco.v7i18.55303

Castañeda, B. E. G., Carvalho, L. N. G., & Lisboa, N. P. (2007). Comparação entre as Normas de Auditoria do Brasil e as Internacionais (IAASB). Revista Contemporânea de Contabilidade, 4(7), pp. 81-100.

Chaffey, J., Peursem, K. A., & Low, M. (2011). Audit education for future professionals: Perceptions of New Zealand auditors. Accounting Education: an international journal, 20(2), pp. 153-185. doi:10. 1080/09639284.2011.557492

Dombrowski, R. F., Smith, K. J., & Wood, B. G. (2013). Bridging the education-practice divide: The Salis¬bury University auditing internship program. Journal of Accounting Education, 31(1), pp. 84-106. doi:10.4236/ojacct.2016.51001

Fundação Brasileira de Contabilidade (2009). Proposta nacional de conteúdo para o curso de graduação em ciências contábeis (2ª ed.). Carneiro, J. D. (coordenador). Brasília, DF, Brasil. Recuperado em 14 de julho de 2015 em: http://portalcfc.org.br/wordpress/wp-content/uploads/2013/01/proposta.pdf

Gil, A. C. (2002). Como elaborar projetos de pesquisa (5ª. ed.). São Paulo: Atlas.

Humphrey, C. Auditing research: a review across the disciplinary divide. Accounting, Auditing & Accoun¬tability Journal, 2008, 21(2), pp. 170-203. doi: 10.1108/09513570810854392

Johnson, E. N., Baird, J., Caster, P., Dilla, W. N., Earley, C. E., & Louwers, T. J. (2003). Challenges to audit education for the 21st century: A survey of curricula, course content, and delivery methods. Issues in Accounting Education, 18(3), pp. 241–263. doi:10.2308/iace.2003.18.3.241

Machado, L., Machado, M. R. R., & Guerra, F. M. (2014). Formação do Auditor nas Instituições de En¬sino Superior e a Capacitação Profissional nas Firmas de Auditoria. Revista de Contabilidade da UFBA, 8(1), pp. 4-20.

Madeira, C. A. (2001). Avaliação do ensino de auditoria nos cursos de graduação em Ciências Contábeis: uma pesquisa exploratória. Dissertação de Mestrado, Faculdade de Ciências Econômicas de São Paulo da Fundação Escola de Comércio Álvares Penteado, São Paulo, SP, Brasil.

Niyama, J. K., Moraes da Costa, F., Alves Dantas, J., & Ferreira Borges, E. (2013). Evolução da regulação da auditoria independente no Brasil: análise crítica, a partir da teoria da regulação. Advances in Scientific and Applied Accounting, 4(2), pp. 127-161.

Nogueira Júnior, E., Jucá, M. N., & Macedo, M. (2010). O impacto da harmonização das práticas contábeis brasileiras às internacionais na relação entre o lucro líquido e o fluxo de caixa operacional. Revista Contabilidade Vista & Revista. 23(1), pp. 47-74.

Conselho Federal de Contabilidade (2012). Normas Brasileiras de Contabilidade: NBC TA – de audito¬ria independente: NBC TA estrutura conceitual, NBC TA 200 a 810. (2012). Recuperado em 31 de maio, 2015, de http://portalcfc.org.br/wordpress/wp-content/uploads/2013/01/NBC_TA_AUDI¬TORIA.pdf.

Ricardino Filho, A. (2003). Algumas limitações do ensino de Auditoria nos cursos de ciências contábeis no Brasil. Anais Congresso USP de Contabilidade, São Paulo, SP, Brasil, 3.

Ricardinho Filho, A. A. (2002). Auditoria: ensino acadêmico X treinamento profissional. Tese de Douto¬rado, Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade, Departamento de Contabilidade e Atuária, Universidade de São Paulo, São Paulo, SP, Brasil.

Silva, A. P. A. Percepção dos profissionais de auditoria quanto ao ensino de auditoria contábil nos cursos de graduação em ciências contábeis do Brasil.(2008). Dissertação de Mestrado, Pós-Graduação em Ciências Contábeis, Universidade de Brasília/UFPB/UFPE/UFRN, Brasília, DF, Brasil.

Silva, T. T. & Moreira, A. F. B. (2008). Currículo, cultura e sociedade (10ª. ed.) São Paulo: Cortez.

Siriwardane, H. P., Kin Hoi Hu, B., & Low, K. Y. (2014). Skills, Knowledge, and Attitudes Important for Present‐Day Auditors. International Journal of Auditing,18(3), pp. 193-205. doi:10.1111/ijau.12023

Soares, S. V., Soares, J. G., Lanzarin, J., & Casagrande, M. D. H. (2012). O Curso de Ciências Contábeis das Universidades Federais e a Auditoria: uma análise dos aspectos curriculares. Revista Cesumar – Ciências Humanas e Sociais Aplicadas, 17(1), pp. 1-17.

Treasury, U. S. (2008). Final Report of the Advisory Committee on the Auditing Profession to the US De¬partment of the Treasury. The Department of the Treasury.

UNCTAD - United Nations Conference on Trade and Development (2011): Model Accounting Curricu¬lum (Revised). Geneva, UNCTAD. Recuperado em 14 de maio de 2015 de: http://unctad.org/en/ PublicationsLibrary/diaemisc2011d1_en.pdf

Vasarhelyi, M. A., Teeter, R. A., & Krahel, J. P. (2010). Audit education and the real-time economy. Issues in Accounting Education, 25(3), pp. 405-423. doi:10.2308/iace.2010.25.3.405

Veiga, R. M. B., Borges, L. J., & Amorim, E. N. C. D. (2014). Profissão Auditor Independente no Brasil: percepção dos contadores registrados nos CRCs. Revista Catarinense Sa Ciência Contábil, 13(39), pp. 64-78. doi:10.16930/2237-7662/rccc.v13n39p64-78.




DOI: http://dx.doi.org/10.17524/repec.v0i0.1408

ISSN 1981-8610

Creative Commons License
Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob Creative Commons Attribution 3.0 Unported License.


INDEXADORES
A Revista de Educação e Pesquisa em Contabilidade (REPeC) está indexada nos diretórios e bases que seguem:

    Open Archives Iniciative