UTILIZAÇÃO DE ARTEFATOS DE CONTABILIDADE GERENCIAL NAS SOCIEDADES COOPERATIVAS AGROPECUÁRIAS DE MINAS GERAIS E SUA RELAÇÃO COM PORTE E DESEMPENHO FINANCEIRO

  • Antonio Marcos dos Reis Diretor Administrativo Financeiro da Cooperativa Central Mineira de Laticínios Ltda.-CEMIL
  • Aridelmo José Campanharo Teixeira Professor da Fucape Business School
Palavras-chave: Contabilidade Gerencial, Artefatos Modernos e Tradicionais, Cooperativas Agropecuárias.

Resumo

O objetivo deste estudo foi verificar a utilização dos artefatos tradicionais e modernos de contabilidade gerencial em cooperativas agropecuárias e analisar a relação com seu porte e desempenho financeiro. A pesquisa contribuiu para a literatura, evidenciando que, apesar de analisar um ramo específico, os resultados se mostraram similares aos estudos anteriores realizados no Brasil e no exterior. O estudo é quantitativo, empírico-analítico e survey. Os dados foram coletados por meio de questionário semiestruturado, utilizado em pesquisas anteriores, com adaptações para este estudo. O questionário foi enviado por e-mail em abril de 2011 para 92 cooperativas que, depois de contatadas, se dispuseram a participar da pesquisa, obtendo-se, ao final, 69 respostas. A população total é composta por 203 cooperativas. Os dados foram submetidos ao teste estatístico não paramétrico de significância de médias de duas amostras independentes. As evidências empíricas indicam a utilização dos artefatos pelas cooperativas e que, em relação ao desempenho e ao porte, não houve diferença estatisticamente significativa entre as cooperativas que utilizam artefatos modernos e/ou tradicionais de contabilidade gerencial.

Biografia do Autor

Antonio Marcos dos Reis, Diretor Administrativo Financeiro da Cooperativa Central Mineira de Laticínios Ltda.-CEMIL
M.Sc. in Accountancy from Fucape Business School
Aridelmo José Campanharo Teixeira, Professor da Fucape Business School
Doutor em Controladoria e Contabilidade (USP)

Referências

Atkinson, A.T., Banker, R.D., & Kaplan, R.S. (2000). Contabilidade Gerencial. (1a ed.). São Paulo: Atlas.

Borinelli, M. L. (2006). Estrutura conceitual básica de controladoria: sistematização à luz da teoria e da práxis. Tese de Doutorado, Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da USP, São Paulo, SP, Brasil.

Lei 5.764, de 16 de dezembro de 1971 (1971). Define a Política Nacional de Cooperativismo, institui o regime jurídico das sociedades cooperativas, e dá outras providências. Diário Oficial da União. Brasília, DF: Ministério da Fazenda.

Carvalho, F.L. de, & Bialoskorski, S. Neto. (2007). Um Ensaio sobre a Análise de Desempenho em Cooperativas Agropecuárias. Anais do Congresso USP de Controladoria e Contabilidade, São Paulo, SP, Brasil, 7.

Chenhall, R.H., & Langfield-Smith, K. (1998). Adoption and benefits of management accounting practices: an Australian study. Management Accounting Research, 9(1), 1-19.

Creswell, J.W. (2007). Projeto de pesquisa: métodos qualitativo, quantitativo e misto. (2a ed.). Porto Alegre: Artmed.

Davila, A., & Foster, G. (2007). Management control systems in early-stage startup companies. Accounting Review, 82(4), 907-937.

Espejo, M.M. dos S.B. (2008). Perfil dos atributos do sistema orçamentário sob a perspectiva contingencial: uma abordagem multivariada. Tese de Doutorado Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da USP, São Paulo, SP, Brasil. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/12/12136/tde-30062008-141909/

Gonzaga, R. P., Da Luz, A.T.M., Guimarães, T.N., & Valerio Jr., V.B. (2010). Associação entre práticas de contabilidade gerencial e tamanho das empresas: um estudo empírico. Anais da Associação Nacional Dos Programas De Pós-Graduação Em Ciências Contábeis, Natal, RN, Brasil, 4.

Guerreiro, R. Cornachione Jr. E.B., & Soutes, D.O. (2010). A Utilização de Artefatos Modernos de Contabilidade Gerencial por Empresas Brasileiras. Anais do Encontro Da Anpad, Rio de Janeiro, RJ, Brasil, 34.

Hill, M.M., & Hill, A. (2005). Investigação por questionário. (2a ed.) Lisboa.

Horngren, C.T., Foster, G., & Datar, S.M. (2000). Contabilidade de Custos (9a ed.) Rio de Janeiro: LTC.

Internacional Federation of Accountants. (1998). Internacional Management Accounting Practice 1. Recuperado de http://www.mia.org.my/handbook/guide/imap/imap_1.htm

Langfield-Smith, K. (2008). Strategic management accounting: how far have we come in 25 years? Accounting, Auditing & Accountability Journal, 21(2), 204-228.

Marôco, J. (2010). Análise estatística com o PASW statistics. (1a ed). Pêro Pinheiro: ReportNumber.

Martins, G. de A. (2000). Manual para elaboração de monografias e dissertações. (2a ed.) São Paulo: Atlas.

Matos, E.R.J. de. (2010). Perfil do sistema de controle gerencial sob a perspectiva da teoria da contingência. Tese de Doutorado, Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade, USP, São Paulo, SP, Brasil. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/12/12136/tde-10052010-143511/

Organização das Cooperativas do Estado de Minas Gerais. (2010). Anuário do Cooperativismo Mineiro – Maiores Cooperativas de Minas Gerais ano 2010. Recuperado de http://www.ocemg.org.br/pagina/146/anuario-do-cooperativismo-mineiro.aspx

Oliveira, A.B.S., Célice, E.S., Cecconello, A.R., & Di G, W.A.B., Kounrouzan, M.C., Barbosa, C.B. (2003). Métodos e técnicas de pesquisa em contabilidade. (1a ed.) São Paulo: Saraiva.

Otley, D.T. (1980). The Contingency theory or management accounting: achievements and prognosis. Accounting Organizations and Society. 5(4), 413-428.

Reginato, L. (2010). Um estudo setorial sobre as relações entre variáveis ambientais externas, modelos de gestão, controles gerenciais e desempenhos das empresas. 2010. Tese de Doutorado, Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da USP, São Paulo, SP, Brasil. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/12/12136/tde-15042010-132200/

Shank, J.K., & Govindarajan, V. (1997). A Revolução dos custos: como reinventar e redefinir sua estratégia de custos para vencer em mercados crescentemente competitivos. (2a ed.) Rio de Janeiro: Campus.

Soutes, D.O., & De Zen, M.J. de C.M. (2005). Estágios evolutivos da Contabilidade Gerencial em empresas brasileiras. Anais do Congresso USP De Contabilidade, São Paulo, SP, Brasil, 5.

Soutes, D.O. (2006). Uma investigação do uso de artefatos da contabilidade gerencial por empresas brasileiras. Dissertação de Mestrado, Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da USP, São Paulo, SP, Brasil.

Soutes, D.O. (2007) Custo Total de Propriedade (TCO): É importante? Para quem? Ciências Sociais Aplicadas em Revista, 7(13), 83-105. 2007. Paraná: Unioeste

Soutes, D.O., & Guerreiro, R. (2007). Uma investigação do uso de artefatos da contabilidade gerencial por empresas brasileiras. Anais do Encontro da Anpad, Rio de janeiro, RJ, Brasil, 31.

Sulaiman, M. bt., Ahmad, N.N.N., & Alwi, N. (2004). Management accounting practices in selected Asian countries: A review of the literature. Managerial Auditing Journal, 4(19), 493-508.

Teixeira, A., Gonzaga, R.P., Santos, A.V.S.M., & Nossa, V. (2011). A Utilização de ferramentas de contabilidade gerencial nas empresas do estado do Espírito Santo. Brazilian Business Review, 8(3), 108-127.

Publicado
28-10-2013
Como Citar
Reis, A., & Teixeira, A. (2013). UTILIZAÇÃO DE ARTEFATOS DE CONTABILIDADE GERENCIAL NAS SOCIEDADES COOPERATIVAS AGROPECUÁRIAS DE MINAS GERAIS E SUA RELAÇÃO COM PORTE E DESEMPENHO FINANCEIRO. Revista De Educação E Pesquisa Em Contabilidade (REPeC), 7(4). https://doi.org/10.17524/repec.v7i4.997
Seção
Artigos

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##