ESTUDO SOBRE OS FATORES CONTÁBEIS QUE INFLUENCIAM O ÍNDICE FIRJAN DE DESENVOLVIMENTO MUNICIPAL (IFDM) NAS CAPITAIS BRASILEIRAS

  • Bruna Camargos Avelino Professora da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)
  • Valéria Gama Fully Bressan Professora da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)
  • Jacqueline Veneroso Alves da Cunha Professora da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)
Palavras-chave: Entidades Públicas, Accountability, IFDM

Resumo

O impacto dos gastos públicos sobre o desenvolvimento de um município pode ser considerado uma preocupação constante por parte dos governantes. Nesse cenário, como o cidadão é chamado a contribuir compulsoriamente, por meio de tributos, para a manutenção da estrutura da máquina administrativa municipal, este tem especial interesse na maximização do desenvolvimento humano da coletividade, sendo tal desenvolvimento passível de ser medido pelo Índice FIRJAN de Desenvolvimento Municipal (IFDM). O objetivo deste estudo consistiu em identificar as variáveis contábeis condicionantes do IFDM das capitais brasileiras, de modo a permitir avaliar a relevância da informação contábil no índice em questão. Para tal, foram abordadas questões referentes à accountability e transparência na gestão pública, bem como ao papel da evidenciação contábil na redução da assimetria informacional existente na relação entre os cidadãos e os governantes eleitos. Quanto aos procedimentos metodológicos, estimou-se um modelo de dados em painel a partir do cruzamento dos dados do IFDM das capitais brasileiras, considerado uma importante ferramenta de gestão pública e accountability democrática, referente aos exercícios de 2005 a 2010, com os dados de dezessete variáveis contábeis. Os resultados mostraram que as variáveis Juros e Encargos da Dívida, Despesa de Capital, Investimentos, gastos com Cultura e Assistência Social e Transferências Correntes apresentaram uma associação estatisticamente significativa com o IFDM total dos entes públicos selecionados, permitindo constatar que informações contábeis possuem relevância na determinação do IFDM das capitais analisadas. Esta situação corrobora a afirmativa de cunho teórico, segundo a qual os gastos governamentais registrados pela contabilidade afetam o desenvolvimento de um município. Dessa forma, um bom gerenciamento das contas públicas poderia culminar em um aumento no nível de desenvolvimento humano dos municípios estudados ao longo dos anos.

Biografia do Autor

Bruna Camargos Avelino, Professora da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)
Mestre em Ciências Contábeis (UFMG) e Doutoranda em Controladoria e Contabilidade (USP)
Valéria Gama Fully Bressan, Professora da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)
Pós-doutora em Economia Aplicada (UFV)
Jacqueline Veneroso Alves da Cunha, Professora da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)
Doutora em Controladoria e Contabilidade (USP)

Referências

Anand, S.; Sen, A. (2000). The Income Component of the Human Development Index. Journal of Human Development, 1(1), pp. 83-106.

Athayde, F. R. (2002). A Evidenciação de informações contábeis da área social no setor público: estudo de caso do município de Luziânia GO. 94 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Contábeis) – Programa Multiinstitucional e Inter-Regional de Pós-Graduação em Ciências Contábeis, Universidade de Brasília, Universidade Federal da Paraíba, Universidade Federal de Pernambuco e Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Recuperado em: 23 setembro, 201, de http://www.unb.br/cca/pos-graduacao/mestrado/dissertacoes/mest_dissert_003.pdf.

Baltagi, B. H. (2005). Econometric Analysis of Panel Data. New York: John Wiley & Sons.

Bressan, V. G. F. (2009). Seguro depósito e moral hazard nas cooperativas de crédito brasileiras. 400 f. Tese (Doutorado em Economia) – Programa de Pós-Graduação em Economia Aplicada, Universidade Federal de Viçosa, Viçosa/MG.

Colauto, R. D.; Nascimento, P. S.; Avelino, B. C.; Bispo, O. N. A. (2009). Evidenciação de Ativos Intangíveis Não Adquiridos nos Relatórios da Administração das Companhias listadas nos Níveis de Governança Corporativa da Bovespa, Revista Contabilidade Vista & Revista, 20(1), pp. 142-169.

Corbari, E. C. (2004). Accountability e Controle Social: Desafio à Construção da Cidadania. Cadernos da Escola de Negócios da UniBrasil, 2(1), pp. 99-111.

Cruz, C. F. (2010). Transparência da Gestão Pública Municipal: Referenciais Teóricos e a Situação dos Grandes Municípios Brasileiros. 140 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Contábeis) - Programa de Pós-Graduação em Ciências Contábeis, Faculdade de Administração e Ciências Contábeis da Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro.

Devarajan, S.; Swarrop, V.; Zou, H. (1996). The composition of public expenditure and economic growth. Journal of Monetary Economics, 37(2), pp. 313-344.

Ferreira, P. (1996). Investimento em Infra-Estrutura no Brasil. Fatos Estilizados e Relações de Longo Prazo. Pesquisa e Planejamento Econômico, IPEA, 26(2), pp. 234-252.

Ferreira, P.; Malliagros, T. (1998). Impactos Produtivos da Infra-Estrutura no Brasil – 1950/95. Pesquisa e Planejamento Econômico, IPEA, 28(2), pp. 315-338.

FIRJAN. Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro: IFDM 2010. Recuperado em 23 setembro, 2011, de http://www.firjan.org.br.

Ghosh, S.; Gregoriou, A. (2008). The Composition of Government Spending and Growth: Is Current or Capital Spending Better? Oxford Economic Papers, 60, pp. 484–516, DOI:10.1093/oep/gpn005.

Gomes, S. C. (2007). Análise Econométrica da Produtividade Total dos Fatores na Amazônia Legal, 1990-2004. 262 f. Tese (Doutorado em Economia Aplicada), Universidade Federal de Viçosa, Viçosa – MG. Recuperado em 22 setembro, 2011 de http://www.economia-aplicada.ufv.br/docs/dissertacoesTeses2007_2009/teses2007 /sergio.pdf.

Graciliano, E. A.; Moreira Filho, J. C.; Nunes, A. P.; Pontes, F. C. M.; Zampa, F. F. (2010). Accountability na Administração Pública Federal: Contribuição das Auditorias Operacionais do TCU. Pensar Contábil, 12(47), pp. 43-51.

Gujarati, D. (2006). Econometria Básica. (4 ed.) Rio de Janeiro: Elsevier.

Hood, C. (1991). A Public Management for All Seasons? Public Administration, 69(1), pp. 3–19.

Hsiao, C. (1986). Analysis of panel data. Cambridge: Cambridge University Press.

IPARDES. Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico e Social. Índice de Desenvolvimento Humano Municipal - IDH-M 2000: anotações sobre o desempenho do Paraná. Recuperado em 18 julho, 2013, de http://www.ipardes.gov.br/biblioteca/docs/idhm_2000.pdf.

Kon, A. (1997). Subsídios teóricos e metodológicos ao planejamento econômico público. EAESP/FGV/NPP - Núcleo de Pesquisas e Publicações. Relatório de pesquisa, 12.

March, J. G.; Olsen, J. P. (1995), Democratic Governance. New York: The Free Press.

Martinez-González, A.; Martí, J. (2006). Accountability and Rendering of Accounts: New Approaches for the Public Sector. International Advances in Economic Research, 12(4), pp. 67-80.

Nakagawa, M.; Relvas, T. R. S.; Dias Filho, J. M. (2007). Accountability: a Razão de ser da Contabilidade. Revista de Educação e Pesquisa em Contabilidade – REPEC, 1(3), pp. 83-100.

NCGA. National Council on Governmental Accounting (1982). Objectives of Accounting and Financial Reporting for Governmental Units, Concepts Statement no. 1. Chicago.

Pablos, N. P.; Figueroa, G. G.; Camou, E. R. (2007). Democratización y rendición de cuentas: el caso de la revisión de las cuentas públicas municipales en Sonora. Gestión y Política Pública, 16(1), pp. 203-236.

Platt Neto, O. A.; Cruz, F.; Ensslin, S. R.; Ensslin, L. (2005). Publicidade e Transparência das Contas Públicas: Obrigatoriedade e Abrangência desses princípios na administração pública brasileira. Anais do Congresso USP de Controladoria e Contabilidade, São Paulo, 5.

PNUD. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento: Atlas do Desenvolvimento Humano no Brasil. Recuperado em 23 setembro, 2011 de http://www.pnud.org.br/atlas/tabelas/index.php.

Ray, M. (2012). Accounting for Sustainability – Greening the Human Development Index. Anais do Annual International Conference on Micro and Macro Economics (MME 2012), 2

Rocha, F.; Giuberti, A. C. (2007). Composição do gasto público e crescimento econômico: uma avaliação macroeconômica da qualidade dos gastos dos Estados brasileiros. Economia Aplicada, São Paulo, 11(4), pp. 463-485.

Santana Junior, J. J. B. (2008). Transparência fiscal eletrônica: uma análise dos níveis de transparência apresentados nos sites dos poderes e órgãos dos Estados e do Distrito Federal do Brasil. 176 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Contábeis) – Programa Multinstitucional e Inter-regional de Pós-graduação em Ciências Contábeis, Recife.

Santos Filho, M. R. (2010). Desenvolvimento Humano dos Municípios Baianos: uma Avaliação a partir de Indicadores Sociais e das Demonstrações Contábeis. 176 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Contábeis) – Universidade Federal da Bahia, Salvador.

Scarpin, J. E. (2006). Estudo dos fatores condicionantes do Índice de Desenvolvimento Humano nos municípios do Estado do Paraná: instrumento de controladoria para a tomada de decisões na gestão governamental. 402 f. Tese (Doutorado em Ciências Contábeis) - Programa de Pós-Graduação em Ciências Contábeis, Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo, São Paulo.

Slomski, V.; Mello, G. R.; Tavares Filho, F.; Macêdo, F. Q. (2008). Governança Corporativa e Governança na Gestão Pública. São Paulo: Atlas.

Teixeira, M. F. F. (2002). Composição dos Gastos dos Estados Brasileiros, 1983-99. 2002. 88 f. Brasília: ESAF. Monografia premiada em 2º lugar no VII Prêmio Tesouro Nacional, Tópicos Especiais de Finanças Públicas.

Tesouro Nacional. Finanças do Brasil. Recuperado em 23 julho, 2013 de http://www3.tesouro.fazenda.gov.br/estados_municipios/index.asp.

Tesouro Nacional. Situação Fiscal do seu Município. Recuperado em 23 julho, 2013 de http://www.tesouro.fazenda.gov.br/estados_municipios/situacao_fiscal_municipio.asp.

Wooldridge, J. (2006). Introdução à Econometria: uma abordagem moderna. São Paulo: Pioneira Thomson Learning.

Publicado
21-09-2013
Como Citar
Avelino, B., Fully Bressan, V., & Alves da Cunha, J. (2013). ESTUDO SOBRE OS FATORES CONTÁBEIS QUE INFLUENCIAM O ÍNDICE FIRJAN DE DESENVOLVIMENTO MUNICIPAL (IFDM) NAS CAPITAIS BRASILEIRAS. Revista De Educação E Pesquisa Em Contabilidade (REPeC), 7(3). https://doi.org/10.17524/repec.v7i3.993
Seção
Artigos