Influência da Autoestima e Relação Orientador-Orientando nos Sintomas da Síndrome de Burnout: Evidências da pós-graduação stricto sensu em contabilidade no contexto brasileiro

  • Vinicius Abilio Martins Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE)
  • Sheila da Silva UNIOESTE - Universidade Estadual do Oeste do Paraná
  • Igor Pereira da Luz UFSC - Universidade Federal de Santa Catarina
Palavras-chave: Síndrome de Burnout, Autoestima, Pós-graduação, Contabilidade, Relação orientador-orientando

Resumo

Objetivo: O presente trabalho teve por objetivo analisar a influência da autoestima e relação orientador-orientando nos sintomas da Síndrome de Burnout em estudantes de pós-graduação stricto sensu em Contabilidade no Brasil.
Método: O estudo descritivo, de abordagem quantitativa, caracterizado como pesquisa de levantamento, tipo survey. foram utilizadas: a Escala de Autoestima de Rosenberg (1965); a escala MBI-HSS para a análise da existência de traços da Síndrome de Burnout; e a escala para avaliar as percepções de boa relação orientador-orientado desenvolvida por Silva e Vieira (2015). A população selecionada foram os acadêmicos (mestrandos e doutorandos) de pós-graduação stricto sensu na área de Ciências Contábeis no Brasil e a amostra final é composta de 141 respostas válidas. Para a análise de dados foi utilizada a Modelagem de Equações Estruturais.
Resultados: Os resultados apontam para uma influência negativa da percepção de autoestima nos sintomas da Síndrome de Burnout. Aponta-se com isso para a importância da autoestima na condução das adversidades apresentadas pelas demandas da pós graduação. Contudo, não foi encontrada influência significativa da acessibilidade e boa relação com o orientador nos sintomas da Síndrome de Burnout.
Contribuições: Como contribuições, o estudo apresenta um panorama, sobre a percepção dos acadêmicos sobre sua autoestima, relação com o orientador e os sintomas da Síndrome de Burnout, temas com pouca evidência nos programas de pós-graduação em contabilidade nacional.

Biografia do Autor

Vinicius Abilio Martins, Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE)

Docente na Unioeste - Universidade Estadual do Oeste do Paraná - Campus Foz do Iguaçu, do Programa de Pós-Graduação em Contabilidade (PPGC), Nível Mestrado, campus Cascavel, de especialização/pós-graduação/MBA e da Graduação em Ciências Contábeis, campus de Foz do Iguaçu. Doutor em Contabilidade pela UFSC (2019). Mestre em Administração pela PUCPR (2015), Especialista (MBA) em Gestão Contábil, Financeira e Auditoria pela UNIOESTE (2012), em Gestão Pública pela UFPR (2016), em Gestão de Projetos pela Universidade Positivo (2019). Graduado em Ciências Contábeis pela UNIOESTE (2010).

Sheila da Silva, UNIOESTE - Universidade Estadual do Oeste do Paraná

Bacharel em  Ciências Contábeis pela Universidade Estadual do Oeste do Paraná.

Igor Pereira da Luz, UFSC - Universidade Federal de Santa Catarina

Doutorando no Programa de Pós-Graduação em Contabilidade da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Mestre em Contabilidade no Programa de Pós-Graduação em Contabilidade da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).. Possui graduação em Bacharelado em Ciências Contábeis pela Universidade Estadual de Ponta Grossa (2011)

Referências

Alves, L. M. S. A. (2009). Intervenção psicopedagógica: autoestima e a dimensão afetiva entre professores e alunos. In Actas do X Congresso Internacional Galego-Português de Psicopedagogia (pp. 4486-4496).
Avanci, J. Q., Assis, S. G., Santos, N. C. D., & Oliveira, R. V. (2007). Adaptação transcultural de escala de auto-estima para adolescentes. Psicologia: Reflexão e crítica, 20(3), 397-405.
Benevides-Pereira, A. M. T. B. (2002). Burnout: Quando O Trabalho Ameaça O Bem. Casa do psicólogo. São Paulo: Casa do Psicólogo.
Bispo, F.C. S.; Santos Junior, A. B. (2014) O docente do ensino superior: educador ou prestador de serviços?. XI Simpósio de Excelência em Gestão e Tecnologia.
Blanchard, C., & Haccoun, R. R. (2019). Investigating the impact of advisor support on the perceptions of graduate students. Teaching in Higher Education, 1-18.
Branden, N.(2001) Auto-estima: Como Aprender a Gostar de Si Mesmo. 39a ed. Sao Paulo: Saraiva.
Brown, G.; Adkins, M. (1998) Effective Teaching in the Higher Education. London: Routledge.
Carlotto, M. S., & Câmara, S. G. (2006). Características psicométricas do Maslach Burnout Inventory-Student Survey (MBI-SS) em estudantes universitários brasileiros. Psico-USF, 11(2), 167-73.
Codo, W. (2002) Educação, carinho e trabalho: Burnout, a síndrome da desistência do educador, que pode levar à falência da educação. Petrópolis: Vozes.
Cadez, S., Dimovski, V., & Groff, M. Z. (2017). Research, teaching and performance evaluation in academia: the salience of quality. Studies in Higher Education, 42(8), 1455-1473.
Demo, P. (2000) Metodologia do conhecimento científico. São Paulo: Atlas.
Duque, J. C., Brondani, J. T., & Luna, S. P. L. (2005). Estresse e pós-graduação em Medicina Veterinária. Revista Brasileira de Pós-Graduação, 2(3).
Ekstedt, M., & Fagerberg, I. (2005). Lived experiences of the time preceding burnout. Journal of advanced nursing, 49(1), 59-67.
Fornell, C., & Larcker, D. F. (1981). Evaluating structural equation models with unobservable variables and measurement error. Journal of marketing research, 18(1), 39-50.
Franco, M., Longhi, S. M., & Ramos, M. D. G. (2009). Universidade e pesquisa: espaços de produção do conhecimento. Pelotas: UFPel.
Fuente, G. A.C., San Luis, C., Lozano, L. M., Vargas, C., García, I., & Emilia, I. (2014). Evidencia de validez factorial del Maslach Burnout Inventory y estudio de los niveles de burnout en profesionales sanitarios. Revista Latinoamericana de Psicología, 46(1), 44-52.
Hair Jr, J. F., Hult, G. T. M., Ringle, C., & Sarstedt, M. (2016). A primer on partial least squares structural equation modeling (PLS-SEM). Sage Publications.
Hish, A. J., Nagy, G. A., Fang, C. M., Kelley, L., Nicchitta, C. V., Dzirasa, K., & Rosenthal, M. Z. (2019). Applying the Stress Process Model to Stress–Burnout and Stress–Depression Relationships in Biomedical Doctoral Students: A Cross-Sectional Pilot Study. CBE—Life Sciences Education, 18(4), ar51.
Janikova, E., Buzgova, R. (2017). Supervision as one of the possibilities of preventing and influencing burnout syndrome in healthcare. Ceskoslovenska Psychologie, 61(4), 363-378.
Jodas, D. A., & Haddad, M. D. C. L. (2009). Síndrome de Burnout em trabalhadores de enfermagem de um pronto socorro de hospital universitário. Acta paulista de enfermagem, 22(2), 192-197.
Kovach Clark, H., Murdock, N. L., & Koetting, K. (2009). Predicting Burnout and Career Choice Satisfaction in Counseling Psychology Graduate Students. The Counseling Psychologist, 37(4), 580–606.
Kupcewicz, E., & Jóźwik, M. (2020). Association of burnout syndrome and global self-esteem among Polish nurses. Archives of Medical Science, 15(1).
Leite Filho, Geraldo Alemandro, & Martins, Gilberto de Andrade. (2006). Relação orientador-orientando e suas influências na elaboração de teses e dissertações. Revista de Administração de Empresas, 46(spe), 99-109.
Li, J., Han, X., Wang, W., Sun, G., & Cheng, Z. (2018). How social support influences university students' academic achievement and emotional exhaustion: The mediating role of self-esteem. Learning and Individual Differences, 61, 120-126.
Lima, T. B.; Silva, A. B. (2018) Como os mestrandos aprendem? Significados e transformações em um programa de pós-graduação em administração. Revista Reunir, v. 8, n.1, p. 36-55, jan/abr.
López, N. V., Boluda, I. K., & Sanden, E. P. (2012). Antecedentes y efectos del burnout-engagement del vendedor. Cuadernos de Economía y Dirección de la Empresa, 15(3), 154-167.
Machado, A. M. N. (2002) A Bussola do Escrever: Desafios e Estrategias na Orientacao de Teses e Dissertacoes. Florianopolis: UFSC; Sao Paulo: Cortez, 2002. p. 67 - 83.
Mallmann, C. S., Palazzo, L. S., Carlotto, M. S., & de Castro Aerts, D. R. G. (2009). Fatores associados à síndrome de burnout em funcionários públicos municipais. Psicologia: teoria e prática, 11(2), 69-82.
Martins, O. S. (2009). Mestres em ciências contábeis pelo Programa Multiinstitucional da UNB/UFPB/UFPE/UFRN: uma análise a partir de suas percepções e avaliações. Dissertação (Mestrado, Programa Multiinstitucional e Inter-Regional em Ciências Contábeis) Universidade de Brasília, Universidade Federal da Paraíba e Universidade Federal do Rio Grande do Norte. João Pessoa, p. 126..
Masclet, G., & Mineure, S. (1999). The relationship between the burnout and self esteem among prison wardens. L'Encephale, 25(5), 450-460.
Maslach, C. (1976) Burned-out. Human Behavior 5, 16–22.
Monte, P. R. G. (2005) El síndrome de quemarse por eltrabajo Burnout. Madrid: Ediciones Pirámide.
Moreira, D. L., Brito, L. C., Obregon, S. L., Ribas, F. T. T., & Lopes, L. F. D. (2017). Síndrome de burnout: estudo com professores da rede pública da cidade de farroupilha no Rio Grande do Sul. Revista Gestão & Conexões, 6(1), 40-63.
Mosquera, J. J. M., & Stobäus, C. D. (2006). Auto-imagem, auto-estima e auto-realização: qualidade de vida na universidade. Psicologia, saúde & doenças, 7(1), 83-88.
Peleias, I. R., Guimarães, E. R., Chan, B. L., & Carlotto, M. S. (2017). A síndrome de Burnout em estudantes de ciências contábeis de IES Privadas: pesquisa na cidade de São Paulo. Revista de Educação e Pesquisa em Contabilidade, 11(1), 30-51.
Pimenta, S.G.; Anastasiou, L. G.C. (2002) Docência no Ensino Superior. São Paulo: Cortez, V.1.
Polese, A. G., Bortoluzzi, S. C., & Antonelli, R. A. (2019). Relação entre as Variáveis Comportamentais e o Desempenho Acadêmico: Um Estudo com Acadêmicos de Administração e Ciências Contábeis. Revista Mineira de Contabilidade, 20(3), 6-19.
Ringle, C. M., Silva, D., & Bido, D. D. S. (2014). Modelagem de equações estruturais com utilização do SmartPLS. Revista Brasileira de Marketing, 13(2), 56-73.
Romano, A., Negreiros, J., & Martins, T. (2007). Contributos para a validação da escala de auto-estima de Rosenberg numa amostra de adolescentes da região interior norte do país. Psicologia, saúde & doenças, 8(1), 109-116.
Rosenberg, M. (2015). Society and the adolescent self-image. Princeton university press.
Ruviaro, M. D. F. S., & Bardagi, M. P. (2010). Síndrome de burnout e satisfação no trabalho em profissionais da área de enfermagem do interior do RS. Barbarói, 194-216.
Schaufeli, W. B., Salanova, M., González-Romá, V., & Bakker, A. B. (2002). The measurement of engagement and burnout: A two sample confirmatory factor analytic approach. Journal of Happiness studies, 3(1), 71-92.
Schuster, M.S.; Dias.V.; Battistella, L.F. (2015) Percepções de Saúde e a Síndrome de Burnout –Aplicabilidade da Mbi-Gs. Revista de Carreiras e Pessoas, v. 5, n. 3, p. 380-391.
Sedikides, C., Rudich, E. A., Gregg, A. P., Kumashiro, M., & Rusbult, C. (2004). Are normal narcissists psychologically healthy?: Self-esteem matters. Journal of personality and social psychology, 87(3), 400.
Severino, A. J. (2009). Pós-graduação e pesquisa: o processo de produção e de sistematização do conhecimento. Revista Diálogo Educacional, 9(26), 13-27.
Silva, A. H., & Vieira, K. M. (2015). Síndrome de burnout em estudantes de pós-graduação: análise da influência da autoestima e relação orientador-orientando. Revista Pretexto, 16(1), 52-68.
Silva, S. C. P. S., Nunes, M. A. P., Santana, V. R., Reis, F. P., Machado Neto, J., & Lima, S. O. (2015). A síndrome de burnout em profissionais da Rede de Atenção Primária à Saúde de Aracaju, Brasil. Ciência & Saúde Coletiva, 20, 3011-3020.
Souza, R. S., Trigueiro, R. P. C., de Almeida, T. N. V., & de Oliveira, J. A. (2010). A pós-graduação e a síndrome de burnout: estudo com alunos de mestrado em administração. Revista Pensamento Contemporâneo em Administração, 4(3), 12-21.
Turnipseed, D. L. (1994). An analysis of the influence of work environment variables and moderators on the burnout syndrome. Journal of Applied Social Psychology, 24(9), 782-800.
Trzesniewski, K. H., Donnellan, M. B., & Robins, R. W. (2003). Stability of self-esteem across the life span. Journal of personality and social psychology, 84(1), 205.
Voltarelli, J. C. (2002). Estresse e produtividade acadêmica. Medicina (Ribeirao Preto. Online), 35(4), 451-454.
Wagner, J., Lüdtke, O., Jonkmann, K., & Trautwein, U. (2013). Cherish yourself: Longitudinal patterns and conditions of self-esteem change in the transition to young adulthood. Journal of Personality and Social Psychology, 104(1), 148.
Zuluaga, P. A. M., & Moreno, S. M. (2012). Relación entre síndrome de burnout, estrategias de afrontamiento y engagement. Psicología desde el Caribe, 29(1), 205-227.
Publicado
31-03-2021
Como Citar
Martins, V. A., da Silva, S., & Pereida da Luz, I. (2021). Influência da Autoestima e Relação Orientador-Orientando nos Sintomas da Síndrome de Burnout: Evidências da pós-graduação stricto sensu em contabilidade no contexto brasileiro. Revista De Educação E Pesquisa Em Contabilidade (REPeC), 15(1). https://doi.org/10.17524/repec.v15i1.2779
Seção
Artigos