Influência da Folga Financeira no Gerenciamento de Resultados nas Cooperativas de Crédito Brasileiras

  • Ramon Rodrigues dos Santos Programa de Pós-Graduação em Administração, Universidade Federal de Pernambuco (UFPE)
  • Joséte Florencio dos Santos Universidade Federal de Pernambuco
Palavras-chave: Folga Financeira, Gerenciamento de Resultados, Income Smoothing, Cooperativas de Crédito, Cooperativas Financeiras

Resumo

Objetivo: Identificar a influência da folga financeira no gerenciamento dos resultados (GR) nas cooperativas de crédito singulares brasileiras, como uma estratégia de financiamento pré-perdas.

Método: A amostra compreende 626 cooperativas de crédito singulares brasileiras no período entre 2000 e 2019 (20 anos). O modelo-base segue o proposto por Maia et al. (2013), com accruals específicos, controladas por variáveis relacionadas ao perfil das operações de crédito e características como tamanho, captação de depósitos à vista, proporção de operações vencidas e spread, categorizados pelo Plano COSIF.

Resultados: Os resultados destacaram uma influência negativa da folga financeira no GR nas cooperativas de crédito brasileiras. Com isso, quanto maior (ou menor) a folga financeira à disposição dos gestores, menor (ou maior) a propensão ao GR. Logo, a folga amorteceria a interação entre incerteza e aversão ao risco, como um buffer financeiro, deixando-a em uma posição melhor do que uma empresa presa em um único curso de ação.

Contribuições: Os resultados implicam que a “posse” da folga financeira colabora no reporte dos resultados, mitigando a percepção de risco dos cooperados e do agente regulador, intensificadas devido às características específicas e pressões econômicas, políticas e sociais exercidas pelos stakeholders.

Referências

Arruda, A. G. S. (2014). Estruturas de Governança em Redes de Cooperativas de Crédito. Brasília: Editora Confebras.
Banco Central do Brasil [Bacen]. (1987). Circular nº 1.273, de 29 de dezembro de 1987. Instituem, para adoção obrigatória a partir do Balanço de 30.06.88, o anexo Plano Contábil das Instituições do Sistema Financeiro Nacional - COSIF. Recuperado em 11 maio, 2020 de https://www.bcb.gov.br/pre/normativos/circ/1987/pdf/circ_1273_v1_o.pdf.
Banco Central do Brasil [Bacen]. (1999). Resolução nº 2.682, de 21 de dezembro de 1999. Dispõe sobre critérios de classificação das operações de crédito e regras para constituição de provisão para créditos de liquidação duvidosa. Recuperado em 11 maio, 2020 de https://www.bcb.gov.br/pre/normativos/res/1999/pdf/res_2682_v2_L.pdf.
Banco Central do Brasil [Bacen]. (2015). Resolução nº 4.434 de 5 de agosto de 2015. Dispõe sobre a constituição, a autorização para funcionamento, o funcionamento, as alterações estatutárias e o cancelamento de autorização para funcionamento das cooperativas de crédito e dá outras providências. Recuperado em 11 maio, 2020 de https://www.bcb.gov.br/pre/normativos/busca/downloadNormativo.asp?arquivo=/Lists/Normativos/Attachments/48507/Res_4434_v1_O.pdf.
Banco Central do Brasil [Bacen]. (2020). IF.Data - Dados Selecionados de Entidades Supervisionadas. Recuperado em 12 maio, 2020 de https://www3.bcb.gov.br/ifdata/.
Banam, M., & Mehzaren, A. (2016). The Relationship of Information Asymmetry, Institutional Ownership and Stock Liquidity with Income Smoothing in Tehran Stock Exchange. UCT Journal of Management and Accounting Studies, 4(3), 10-15.
Bradley, S. W., Wiklund, J., & Shepherd, D. A. (2011). Swinging a double-edged sword: The effect of slack on entrepreneurial management and growth. Journal of Business Venturing, 26(5), 537-554.
Bressan, V.G.F., Braga, M. J., Bressan, A.A. & Resende Filho, M. A. (2010). Uma proposta de indicadores contábeis aplicados às cooperativas de crédito brasileiras. Revista de Contabilidade e Controladoria, 2(3) 58-80.
Bressan, V. G. F., Braga, M. J., Bressan, A. A., & Resende Filho, M. A. (2011). Uma aplicação do sistema PEARLS às cooperativas de crédito brasileiras. Revista de Administração, 46(3), 258-274.
Bressan, V. G. F., Bressan, A. A., & Silva Júnior, J. M. da (2015). Evitar Divulgar Perdas: Foi Uma Estratégia Utilizada na Última Década pelas Cooperativas de Crédito Filiadas ao Sicredi?. Revista de Gestão e Organizações Cooperativas, 2(3), 27-42.
Bressan, V. G. F., Bressan, A. A., & Silva Junior, J. M. da (2016). Gerenciamento de resultados em cooperativas no Brasil: Avaliando o Income Smoothing às filiadas do Sicredi. Advances in Scientific and Applied Accounting, 9(3), 283-300.
Bressan, V. G. F., Souza, D. C. D., & Bressan, A. A. (2017). Income smoothing: a study of the health sector’s credit unions. Revista Brasileira de Gestão de Negócios, 19(66), 627-643.
Campos, A. L. S., & Nakamura, W. T. (2015). Rebalanceamento da estrutura de capital: endividamento setorial e folga financeira. Revista de Administração Contemporânea, 19 (SPE), 20-37.
Canassa, B. J., & Costa, D. R. de M. (2018). Ciclo de vida das cooperativas de crédito brasileiras: o desempenho da cooperativa como motivo para a descontinuidade das operações. Revista de Gestão e Organizações Cooperativas, 51-68.
Carvalho, F. L., Diaz, M. D. M., Bialoskorski Neto, S., & Kalatzis, A. E. G. (2015). Saída e insucesso das cooperativas de crédito no Brasil: uma análise do risco. Revista Contabilidade & Finanças-USP, 26(67), 70-84.
Dai, W., & Kittilaksanawong, W. (2014). How are different slack resources translated into firm growth? Evidence from China. International Business Research, 7(2), 1-12.
Dantas, J. A., Borges, M. A. B., & Fernandes, B. V. R. (2018). Gerenciamento de resultados contábeis em cooperativas de crédito no brasil. Revista Ambiente Contábil, 10(2), 342-363.
Diniz, M. M. & Girão, L. F. de A. P. (2019, julho). Persistência das Sobras: Uma análise nas Cooperativas de Crédito singulares brasileiras. Anais do USP International Conference in Accounting, São Paulo, SP, Brasil, 19. Recuperado em 11 maio, 2020 de https://congressousp.fipecafi.org/anais/Anais2019_NEW/ArtigosDownload/1690.pdf.
Diniz, M. M. (2020). Qualidade da Informação Contábil: Um estudo das Cooperativas de Crédito Brasileiras (Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Ciências Contábeis, Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa, PB, Brasil. Recuperado em 11 maio, 2020 de http://www.ccsa.ufpb.br/ppgcc/contents/documentos/dissertacoes/dissertacao-marcelo-maia-diniz-deposito.pdf/view.
Eisenhardt, K. M. (1989). Agency theory: An assessment and review. Academy of Management Review, 14(1), 57-74.
Fama, E. F., & Jensen, M. C. (1983a). Agency problems and residual claims. The Journal of Law and Economics, 26(2), 327-349.
Fama, E. F., & Jensen, M. C. (1983b). Separation of ownership and control. The Journal of Law and Economics, 26(2), 301-325.
Fávero, F., & Belfiore, P. (2017). Manual de Análise de Dados: Estatística e Modelagem Multivariada com Excel®, SPSS® e Stata®. Rio de Janeiro: Elsevier.
Fundo Garantidor do Cooperativismo Financeiro [FGCoop]. (2020). Relatório do Sistema Nacional de Crédito Cooperativo – SNCC 2019. Recuperado em 11 maio, 2020 de https://www.fgcoop.coop.br/api/Content/Getfile?fileRef=/site-externo/Lists/normaspublicacoes/Attachments/196/Relat%C3%B3rio%20Anual%202019.pdf.
Ghazali, A. W., Shafie, N. A., & Sanusi, Z. M. (2015). Earnings management: An analysis of opportunistic behaviour, monitoring mechanism and financial distress. Procedia Economics and Finance, 28, 190-201.
Gruener, A., & Raastad, I. (2018). Financial Slack and Firm Performance During Economic Downturn. Journal of Business Management and Administrative Affairs, 1(1), 1-16.
Henselmann, K., Ditter, D., & Lupp, P. (2016). The Effects of the Financial Crisis on Cooperative Banks in Europe - A Critical Comparison - No. 2016-1. Working Papers in Accounting Valuation Auditing. Recuperado em 11 maio, 2020 de https://www.econstor.eu/handle/10419/161671.
Hessou, H., & Lai, V. S. (2018). Basel III capital buffers and Canadian credit unions lending: Impact of the credit cycle and the business cycle. International Review of Financial Analysis, 57, 23-39.
Horz, V., Frare, A. B. & Barbosa, M. A. G. (2019). Uma Análise da Relação Orientação Empreendedora x Desempenho das Cooperativas de Crédito do Mercado Brasileiro. Anais do Congresso da Associação Nacional de Programas de Pós-Graduação em Ciências Contábeis, São Paulo, SP, Brasil, 13. Recuperado em 11 maio, 2020 de http://anpcont.org.br/pdf/2019_CCG105.pdf.
John, K., Li, Y., & Pang, J. (2016). Does corporate governance matter more for high financial slack firms?. Management Science, 63(6), 1872-1891.
Kar, A. K. (2017). Income smoothing, capital management and provisioning behaviour of microfinance institutions: A study using global panel data. The European Journal of Development Research, 29(1), 108-126.
Kirika, S. K. (2017). By-product Extraction of a Rationality-based Agency Conflict Index from Selected Credit Unions in Kenya: Introducing the Agency Conflict Discriminant. Journal of Business and Financial Affairs, 6(3), 1-6.
Li, S., & Richie, N. (2016). Income smoothing and the cost of debt. China Journal of Accounting Research, 9(3), 175-190.
Maia, S. C., Bressan, V. G. F., Lamounier, W. M., & Braga, M. J. (2013). Gerenciamento de resultados em cooperativas de crédito no Brasil. Brazilian Business Review, 10(4), 96 – 116.
Maia, L. L.; Colares, A. C. V.; Cruz, N. G. da & Bressan, V. G. F. (2019). Fatores Influenciadores da Rentabilidade das Cooperativas de Crédito Brasileiras. Anais do Congresso da Associação Nacional de Programas de Pós-Graduação em Ciências Contábeis, São Paulo, SP, Brasil, 13. Recuperado em 11 maio, 2020 de http://www.anpcont.org.br/pdf/2019_CUE206.pdf.
McKillop, D., & Wilson, J. O. (2011). Credit unions: A theoretical and empirical overview. Financial Markets, Institutions & Instruments, 20(3), 79-123.
Meinen, E. (2016). Cooperativismo Financeiro: Virtudes e Oportunidades. Brasília: Editora Confebras.
Menezes, A. (2018). Os dois pinheirinhos continuam firmes? Educação Cooperativista. Brasília: Editora Confebras.
Mercer, A. C., Póvoa, A., & Piccoli, P. (2019). Credit Union Member Group Domination Under High Interest Rate Environments. Annals of Public and Cooperative Economics, 90(3), 555-571.
Meriläinen, J. M. (2019). Western European Stakeholder Banks’ Loan Loss Accounting. Journal of Financial Services Research, 56(2), 185-207.
Mladenatz, G. (2003). História das Doutrinas Cooperativistas. Brasília: Editora Confebras.
Naaman, C. (2018). Three Essays on Credit Unions. Tese (Doctor of Philosophy, Business Administration). Concordia University. Montreal, Quebec, Canadá. Recuperado em 11 maio, 2020 de https://spectrum.library.concordia.ca/984763/1/Naaman_PhD_S2019.pdf.
Olszak, M., Pipień, M., Kowalska, I., & Roszkowska, S. (2017). What drives heterogeneity of cyclicality of loan-loss provisions in the EU?. Journal of Financial Services Research, 51(1), 55-96.
Olszak, M., Roszkowska, S., & Kowalska, I. (2018). Macroprudential policy instruments and procyclicality of loan-loss provisions–cross-country evidence. Journal of International Financial Markets, Institutions and Money, 54, 228-257.
Santos, L. & Guerra, C. (2018). Gerenciamento de resultados e eficiência: um estudo nas cooperativas de crédito filiadas ao sistema Unicred. Revista de Gestão e Organizações Cooperativas, 5 (10), 19-32.
Santos, R. R. dos, & Santos, J. F. dos. (2020). Income smoothing practices and conservatism in Brazilian credit unions. Revista Pensamento Contemporâneo em Administração, 14(1), 76-88.
Silva, C. A. M., Niyama, J. K., Rodrigues, J. M., & Lourenço, I. C. (2018). Gerenciamento de resultados por meio da perda estimada de créditos em bancos brasileiros e luso-espanhóis. Revista Contemporânea de Contabilidade, 15(37), 139-157.
Skała, D. (2015). Saving on a rainy day? Income smoothing and procyclicality of loan‐loss provisions in central European banks. International Finance, 18(1), 25-46.
Wieczorek-Kosmala, M. & Błach, J. (2019). Financial Slack and Company’s Risk Retention Capacity. In P. Linsley, P. Shrives, & M. Wieczorek-Kosmala, (Eds.). Multiple Perspectives in Risk and Risk Management (pp. 145-168). Cham, Suíça: Springer.
Publicado
24-12-2020
Como Citar
Rodrigues dos Santos, R., & Florencio dos Santos, J. (2020). Influência da Folga Financeira no Gerenciamento de Resultados nas Cooperativas de Crédito Brasileiras. Revista De Educação E Pesquisa Em Contabilidade (REPeC), 14(4). https://doi.org/10.17524/repec.v14i4.2632
Seção
Artigos