Relação entre as Características da Empresa, do Comitê de Auditoria e do Auditor Independente com o Prazo de Publicação das Demonstrações Financeiras

  • Paulo Roberto da Cunha Professor da FURB e da Universidade do Estado de Santa Catarina – Udesc
  • Caroline Sulzbach Pletsch Professora da Universidade do Estado de Santa Catarina – Udesc
  • Alini da Silva Professora da Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões
Palavras-chave: Comitê de Auditoria, Prazo de Publicação, Demonstrações Financeiras.

Resumo

O objetivo do estudo foi verificar a relação entre as características da empresa, do comitê de auditoria e do auditor independente, com o prazo de publicação das demonstrações financeiras das empresas listadas na BM&FBOVESPA. Utilizou-se de pesquisa descritiva quanto ao objetivo, documental em relação aos procedimentos e com abordagem quantitativa. Foi utilizada uma amostra de 64 empresas para cada ano de análise, que compreendeu o período de 2010 a 2012. Para a análise dos dados, foi utilizada regressão linear múltipla, por meio do software SPSS®. Os resultados demonstram que o prazo de divulgação das demonstrações financeiras possui relação significativa com o endividamento, o setor da empresa, os honorários de não auditoria e se a empresa é auditada por Big Four. Empresas endividadas ou que pagam altos honorários de não auditoria tendem a divulgar tardiamente suas informações. Se auditadas por Big Four ou pertencentes aos setores de bens industriais, tecnologia da informação, construção e transporte, tendem a divulgar suas demonstrações financeiras em menor tempo.

Biografia do Autor

Paulo Roberto da Cunha, Professor da FURB e da Universidade do Estado de Santa Catarina – Udesc
Doutor em Ciências Contábeis pela Universidade Regional de Blumenau – Furb
Caroline Sulzbach Pletsch, Professora da Universidade do Estado de Santa Catarina – Udesc
Mestre em Ciências Contábeis pela Universidade Regional de Blumenau – Furb
Alini da Silva, Professora da Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões
Mestre em Ciências Contábeis pela Universidade Regional de Blumenau – Furb

Referências

Abernathy, J. L., Herrmann, D., Kang, T., & Krishnan, G. V. (2013). Audit committee financial expertise and properties of analyst earnings forecasts. Advances in Accounting, 29(1), pp. 1-11. http://dx.doi.org/10.1016/j.adiac.2012.12.001.

Abidin, S., & Ahmad-Zaluki, N. A. (2012). Auditor industry specialism and reporting timeliness. Procedia-Social and Behavioral Sciences, 65, pp. 873-878. doi: 10.1016/j.sbspro.2012.11.213.

Afify, H. A. E. (2009). Determinants of audit report lag: Does implementing corporate governance have any impact? Empirical evidence from Egypt. Journal of Applied Accounting Research, 10(1), pp. 56-86. doi 10.1108/09675420910963397.

Ahadiat, N. (2011). Association between audit opinion and provision of non-audit services. International Journal of Accounting & Information Management, 19(2), pp. 182-193. doi: 10.1108/18347641111136463

Ahmed, K. (2003). The timeliness of corporate reporting: A comparative study of South Asia. Advances in International Accounting, 16, pp. 17-43. doi:10.1016/S0897-3660(03)16002-3.

Al-Ajmi, J. (2008). Audit and reporting delays: Evidence from an emerging market. Advances in Accounting, 24(2), pp. 217-226. doi:10.1016/j.adiac.2008.08.002.

Alkhatib, K. & Marji, Q. (2012). Audit Reports Timeliness: Empirical Evidence from Jordan. Procedia-Social and Behavioral Sciences, 62, pp. 1342-1349. doi: 10.1016/j.sbspro.2012.09.229.

Begley, J. & Fischer, P. E. (1998). Is there information in an earnings announcement delay? Review of accounting studies, 3(4), pp. 347-363.

Bushman, R., Chen, Q., Engel, E., & Smith, A. (2004). Financial accounting information, organizational complexity and corporate governance systems. JournalofAccountingandEconomics, 37(2), pp. 167-201.

Conselho Federal de Contabilidade. Data limite para elaboração das demonstrações contábeis. Recuperado em 27 de outubro, 2015 :<http://portalcfc.org.br/coordenadorias/fiscalizacao/faq/faq.php?id=6396>.

Corrar, L. J., Paulo, E., & Dias Filho, J. M. (2009). Análise Multivariada para os Cursos de Administração, Ciências Contábeis e Economia. São Paulo: Atlas.

Cullinan, C. P.,Wang, F., Yang, B., & Zhang, J. (2012).Audit opinion improvement and the timing of disclosure. Advances in Accounting, 28(2), pp. 333-343.

Defond, M. L., Hann, R. N., & Hu, X. (2005). Does the market value financial expertise on audit committees of boards of directors? Journal of accounting research, 43(2), pp. 153-193.

doi: 10.1111/j.1475-679x.2005.00166

Dezoort, F. T., Hermanson, D. R., & Houston, R. W. (2003). Audit committee support for auditors: The effects of materiality justification and accounting precision. Journal of Accounting and Public Policy, 22(2), pp. 175-199.doi:10.1016/S0278-4254(03)00007-3

Falcão, E. (1995). Divulgação em demonstrações financeiras de companhias abertas. Caderno de estudos, 12, pp. 01-13.

Fávero, L. P., Belfiore, P., Silva, F. L., & Chan, B. L. (2009). Análise de Dados: Modelagem Multivariada para tomada de decisões. Rio de Janeiro: Elsevier.

Healy, P. M. & Palepu, K. G. (2001). Information asymmetry, corporate disclosure, and the capital markets: A review of the empirical disclosure literature. Journalofaccountingandeconomics, 31(1), pp. 405-440.PII: S0165-4101 (01) 0 0 0 1 8 - 0

IBGC - Instituto Brasileiro de Governança Corporativa (2009). Guia de Orientação para melhores práticas de Comitês de Auditoria. Cadernos de Governança Corporativa. São Paulo: IBGC, 2009. Recuperado em 17 dezembro, 2013, http://www.ibgc.org.br/CadernoGovernanca.aspx?CodCaderno=53.

Ika, S. R. & Ghazali, N. A. M. (2012). Audit committee effectiveness and timeliness of reporting: Indonesian evidence. Managerial Auditing Journal, 27(4), pp. 403-424.

Iyoha, F. O. (2012). Company attributes and the timeliness of financial reporting in Nigeria. Business Intelligence Journal, 5(1), pp. 41-49.

Kirch, G., Lima, J. B. N., & Terra, P. R. S. (2012).Determinants of disclosure timing for financial statements of Brazilian public companies. Revista Contabilidade & Finanças, 23(60), pp. 173-186.

Krishnan, J. (2005). Audit Committee quality and internal control: an empirical analysis. The AccountingReview. 80(2), pp. 649-675.

Lei no 6.404, de 15 de dezembro de 1976. Dispõe sobre as Sociedades por Ações. . Diário Oficial da União. Brasília, DF: Presidência da República.

Marôco, J. (2011). Análise Estatística com o SPSS statistics. 5ªed. Pero Pinheiro: ReportNumber.

Martins, G. A. & Theóphilo, C. R. (2007). Metodologia da investigação científica para ciências sociais aplicadas. São Paulo: Atlas.

Mironiuc, M.,Chersan, I., & Robu, I. (2013). Ethics in Providing Non-Audit Services to Ensure Transparency in Financial Reporting. Procedia-Social and Behavioral Sciences, 81, pp. 474-478.doi: 10.1016/j.sbspro.2013.06.463

Mironiuc, M. &Robu, I. (2012). Empirical study on the analysis of the influence of the audit fees and non audit fees ratio to the fraud risk. Procedia-Social and Behavioral Sciences, 62, pp. 179-183. doi: 10.1016/j.sbspro.2012.09.028.

Pronunciamento Técnico CPC 00 (R1) (2011). Estrutura Conceitual para Elaboração e Divulgação de Relatório Contábil-Financeiro.Brasília, 02 de Dezembro de 2011.

Pucheta‐Martínez, M. C. & Fuentes, C. (2007). The impact of audit committee characteristics on the enhancement of the quality of financial reporting: An empirical study in the Spanish context. Corporate Governance: An International Review, 15(6), pp. 1394-1412. doi:10.1111/j.1467-8683.2007.00653.x

Sengupta, P. (2004). Disclosure timing: Determinants of quarterly earnings release dates. Journal of Accounting and Public Policy, 23(6), pp. 457-482. doi:10.1016/j.jaccpubpol.2004.10.001.

Solomon, S,Reckers, P. MJ & Lowe, D. J. (2005). The impact of management image and non-audit service fees on investors’ perceptions of earnings quality. Advances in Accounting, 21, pp. 199-216.

Soltani, B. (2002). Timeliness of corporate and audit reports: Some empirical evidence in the French context. The International Journal of Accounting, 37(2), pp. 215-246.

Song, J. & Windram, B. (2004). Benchmarking audit committee effectiveness in financial reporting. International Journal of Auditing, 8(3), pp. 195-205. doi: 10.1111/j.1099-1123.2004.00090.x.

Vlaminck, N. & Sarens, G. (2012).The relationship between audit committee characteristics and financial statement quality: evidence from Belgium. In: European Accounting Association, Annual Congress, 35.

Publicado
26-01-2016
Como Citar
Cunha, P. R. da, Pletsch, C. S., & Silva, A. da. (2016). Relação entre as Características da Empresa, do Comitê de Auditoria e do Auditor Independente com o Prazo de Publicação das Demonstrações Financeiras. Revista De Educação E Pesquisa Em Contabilidade (REPeC), 9(4). https://doi.org/10.17524/repec.v9i4.1232
Seção
Artigos