A Tríade de Giddens na Pesquisa em Contabilidade

  • Edson Roberto Macohon Professor Assistente B da Universidade Estadual do Centro-Oeste – UNICENTRO
  • Carlos Eduardo Facin Lavarda Professor do PPGCC na Universidade Regional de Blumenau - FURB
Palavras-chave: Significação, Dominação, Legitimação, Dualidade da Estrutura, Tríade de Giddens

Resumo

Para compreender como a teoria da estruturação foi investigada na contabilidade, o objetivo foi analisar a Tríade de Giddens na pesquisa em contabilidade. Realizou-se a triangulação de estudos sob o arcabouço da teoria da estruturação (TE). Concebeu-se a dimensão estrutural da significação sob a lente perceptiva, ou seja, quando esquemas cognitivos são utilizados para interpretar a realidade. No entanto, no âmbito da informação contábil, a contabilidade não pode ser considerada como um instrumento monolítico de interpretação das informações. Sob a lente constitutiva têm-se as linguagens que proporcionam a construção social da realidade. Para a integração sistêmica das práticas sociais, a contabilidade tem a função de padronização dos processos entre os diversos setores das organizações. A estrutura de legitimação a partir do dispositivo window-dressing considera a contabilidade como um meio de refletir as expectativas da organização. No entanto, a contabilidade precisa exercer um papel de neutralidade para conquistar a confiabilidade das informações divulgadas. A perspectiva dos dispositivos de sanção considera as avaliações das formas de interações. Assim, a partir da padronização de regras e rotinas, a contabilidade pode promover os processos de aprovação ou não de condutas organizacionais. Na concepção da estrutura de dominação os recursos autoritários ou alocativos promovem o exercício do poder. Desta forma, a contabilidade pode ampliar seu campo de atuação, e como consequência participar diretamente das disputas de poder nas organizações. E, por fim, o mecanismo ideológico que considera a contabilidade como um mecanismo que pode facilitar a compreensão das contradições estruturais da sociedade. Para tanto, os contadores precisam ser agentes de mudanças nos processos de transformação social.

Biografia do Autor

Edson Roberto Macohon, Professor Assistente B da Universidade Estadual do Centro-Oeste – UNICENTRO
Mestre em Administração pela Universidade Regional de Blumenau – FURB
Carlos Eduardo Facin Lavarda, Professor do PPGCC na Universidade Regional de Blumenau - FURB
Doutor em Contabilidade pela Universitat de Valencia, Espanha

Referências

Alam, M., Lawrence, S., & Nandan, R. (2004). Accounting for economic development in the context of post-colonialism: the Fijian experience. Critical Perspectives on Accounting, 15(1), pp. 135-157

Beuren, I. M., & Almeida, D. M. (2012). Impactos da implantação das normas internacionais de contabilidade na controladoria: um estudo à luz da teoria da estruturação em uma empresa têxtil. Revista de Administração da Universidade de São Paulo, 47(4), pp. 653-670. doi: 10.5700/rausp1065

Boland, R. J., Jr. (1993). Accounting and the interpretive act. Accounting, Organizations and Society, 18(2), pp. 125-146.

Burchell, S., Clubb, C., & Hopwood, A. G. (1985). Accounting in its social context: towards a history of value added in the United Kingdom. Accounting, organizations and Society, 10(4), pp. 381-413.

Coad, A. F., & Herbert, I. P. (2009) Back to the future: new potential for structuration theory in management accounting research? Management Accounting Research 20(3), pp. 177–192

Coad, A. F., & Glyptis, L. G. (2014) Structuration: a position-practice perspective and an illustrative study. Critical Perspectives on Accounting 25(2), pp. 142-161

Collier, P. M. (2001). The power of accounting: a field study of local financial management in a police force. Management Accounting Research, 12(4), pp. 465-486.

Conrad, L. (2005). A structuration analysis of accounting systems and systems of accountability in the privatised gas industry. Critical perspectives on accounting, 16(1), pp. 1-26. doi:10.1016/S1045-2354(02)00212-5

Cosenza, J. P., Teixeira Filho, A. C., & Lopes, R. de S. S. A. (2012). Reflexão Sobre Relações Entre Poder e Contabilidade. Contabilidade, Gestão e Governança, 15(2).

Cowton, C. J., & Dopson, S. (2002). Foucault’s prison? Management control in an automotive distributor. Management accounting research, 13(2), pp. 191-213. doi:10.1006/mare.2001.0173

Delone, W. H. (2003). The DeLone and McLean model of information systems success: a ten-year update. Journal of management information systems, 19(4), pp. 9-30..

Englund, H., Gerdin, J., & Burns, J. (2011). 25 years of Giddens in accounting research: achievements, limitations and the future. Accounting, Organizations and Society, 36(8), pp. 494-513. doi:10.1016/j.aos.2011.10.001

Giddens, A. (2009). A constituição da sociedade. Tradução: Álvaro Cabral. (3a ed.). São Paulo: Editora WMF Martins Fontes.

Granlund, M., Lukka, K., & Mouritsen, J. (1998). Institutionalised justification of corporate action: internationalisation and the EU in corporate reports. Scandinavian Journal of Management, 14(4), pp. 433-458. doi.org/10.1016/S0956-5221(97)00046-8

Granlund, M. (2002). Changing legitimate discourse: a case study. Scandinavian Journal of Management, 18(3), pp. 365-391.

Guarido, E. R., Fº & Costa, M. C. (2012). Contabilidade e institucionalismo organizacional: fundamentos e implicações. Revista Contabilidade e Controladoria-RC&C, 4(1).

Guo, X., Zhang, N., & Chen, G. (2009). Adoption and penetration of e-government systems: conceptual model and case analysis based on structuration theory. In Proceedings of the Digital Media Exposition.

Hossain, M. D., Moon, J., Kim, J. K., & Choe, Y. C. (2011). Impacts of organizational assimilation of e-government systems on business value creation: A structuration theory approach. Electronic Commerce Research and Applications, 10(5), pp. 576-594. doi:10.1016/j.elerap.2010.12.003

Jack, L. (2005). Stocks of knowledge, simplification and unintended consequences: the persistence of post-war accounting practices in UK agriculture. Management Accounting Research, 16(1), pp. 59-79. doi:10.1016/j.mar.2004.08.003

Jack, L. (2007). Accounting, post-productivism and corporate power in UK food and agriculture. Critical Perspectives on Accounting, 18(8), pp. 905-931.

Jack, L. & Kholeif, A. (2007) Introducing Strong Structuration Theory for Informing Qualitative Case Studies in Organization, Management and Accounting Research. Qualitative Research in Organizations and Management: An International Journal 2(3), pp. 208- 225. doi.org/10.1108/17465640710835364

Jack, L. & Kholeif, A. (2008). Enterprise resource planning and a contest to limit the role of management accountants: a strong structuration perspective. Accounting Forum 32(1), pp. 30-45. DOI 10.1016/j.accfor.2007.11.003

Jayasinghe, K., & Thomas, D. (2009). The preservation of indigenous accounting systems in a subaltern community. Accounting, Auditing & Accountability Journal, 22(3), pp. 351-378. doi 10.1108/09513570910945651

Jones, C. T., & Dugdale, D. (2001). The concept of an accounting regime. Critical Perspectives on Accounting, 12(1), pp. 35-63.

Lawrenson, D. M. (1992). Britain's railways: The predominance of engineering over accountancy during the inter-war period. Critical Perspectives on Accounting, 3(1), pp. 45-60. DOI: 10.1016/1045-2354(92)90014-I

Lawrence, S., Alam, M., Northcott, D., & Lowe, T. (1997). Accounting systems and systems of accountability in the New Zealand health sector. Accounting, Auditing & Accountability Journal, 10(5), pp. 665-683. doi.org/10.1108/09513579710194036

Macintosh, N. B., & Scapens, R. W. (1990). Structuration theory in management accounting. Accounting, Organizations and Society, 15(5), pp. 455-477. doi:10.1016/0361-3682(90)90028-S

Macintosh, N. B. (1995). The ethics of profit manipulation: a dialectic of control analysis. Critical Perspectives on Accounting, 6(4), pp. 289-315.

Ribeiro, S. M. R. (2010). Fortalecimento das instituições de controle na APF do Brasil. Congresso CONSAD de Gestão Pública. Brasília, DF, Brasil, 3.

Roberts, J. (1990). Strategy and accounting in a UK conglomerate. Accounting, Organizations and Society, 15(1), pp. 107-126. DOI:10.1016/j.aos.2006.08.001

Rodrigues, E. M. T. (2008). A interação entre sistemas de informação e o trabalho no setor bancário no Brasil: uma estruturalista. Tese de Doutorado. FGV/EBAPE - Escola Brasileira de Administração Pública e de Empresas, Rio de Janeiro, RJ, Brasil. Recuperado de http://bibliotecadigital.fgv.br/dspace/bitstream/handle/10438/4192/TESE%20Revisada.pdf?sequence=1&isAllowed=y

Rosenbaum, H. (1993). Information Use Environments and Structuration: Towards an Integration of Taylor and Giddens. Proceedings of the ASIS annual meetin. pp. 235-45.

Santos, A. R. dos (2008). Diagnóstico institucional dos fatores que concorrem para o isomorfismo das práticas de contabilidade gerencial utilizadas pelas organizações do setor elétrico brasileiro. Dissertação de Mestrado da Universidade Federal do Paraná, Curitiba, PR, Brasil. Recuperado de http://www.ppgcontabilidade.ufpr.br/system/files/documentos/Disserta coes/D001.pdf

Saravanamuthu, K., & Tinker, T. (2003). Politics of managing: the dialectic of control. Accounting, Organizations and Society, 28(1), pp. 37-64.

Scapens, R. W., & Macintosh, N. B. (1996). Structure and agency in management accounting research: a response to Boland's interpretive act. Accounting, Organizations and Society, 21(7), pp. 675-690. DOI: 10.1016/0361-3682(95)00049-6

Silva, C. L. M. da, & Fonseca, V. S. da (1993). Estruturação da estrutura organizacional: o caso de uma empresa familiar. Organizações & Sociedade, 1(1), pp. 42-71.

Tavares, E. (2012). Fatores influentes e tipos de uso emergentes da construção social de sistemas de informação no setor bancário. Organizações & Sociedade, 19(62).

Uddin, S., & Tsamenyi, M. (2005). Public sector reforms and the public interest: a case study of accounting control changes and performance monitoring in a Ghanaian state-owned enterprise. Accounting, Auditing & Accountability Journal, 18(5), pp. 648-674. Doi: 10.1108/09513570510620493

Wanderley, C. de A., & Cullen, J. (2012). A Case of Management Accounting Change: the Political and Social Dynamics. Revista Contabilidade & Finanças, 23(60), pp. 161-172.

Walter, S. A., Cruz, A. P. C. D., Espejo, M. M. D. S. B., & Gassner, F. P. (2009). Uma análise da evolução do campo de ensino e pesquisa em contabilidade sob a perspectiva de redes. Revista Universo Contábil, 5(4), pp. 76-93.

Publicado
30-09-2015
Como Citar
Macohon, E. R., & Lavarda, C. E. F. (2015). A Tríade de Giddens na Pesquisa em Contabilidade. Revista De Educação E Pesquisa Em Contabilidade (REPeC), 9(3). https://doi.org/10.17524/repec.v9i3.1192
Seção
Artigos