Lucro e prejuízo sob a perspectiva da administração: como os resultados são apresentados nos relatórios de administração?

  • Luiz Henrique Fernandes Vargas Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Espírito Santo (IFES)
  • José Elias Feres de Almeida Professor Adjunto II na Universidade Federal do Espírito Santo (UFES)
  • Elizeu Maria Júnior Professor Assistente I na Universidade Federal do Espírito Santo
Palavras-chave: Evidenciação. Relatórios de administração. Gerenciamento de impressões.

Resumo

Este artigo objetiva analisar como são apresentadas as informações textuais relativas aos resultados das empresas contidos nos Relatórios de Administração em períodos alternados de lucro e prejuízo. A fundamentação teórica foi pautada na teoria da agência e o gerenciamento de impressões. Adotou-se uma metodologia quali-quanti e a análise dos dados foi realizada por meio de testes estatísticos de comparação entre as médias das informações coletadas por meio da análise de conteúdo. Foram analisados Relatórios de Administração de 30 empresas listadas na BM&FBovespa - que apresentaram lucro no ano de 2009 e prejuízo em 2010. As principais evidências encontradas na análise dos relatórios foram: i) diferença na quantidade de linhas e palavras no período de lucro para o de prejuízo; ii) em período de prejuízo é reduzida a ocorrência de termos que expressam esse resultado e aumento de destaque nos termos Ebitda e margem bruta; e iii) há indícios de desvio da atenção dos usuários dos resultados para outros indicadores por meio da seleção e repetição de termos financeiros, com redução na exposição dos resultados negativos e aumento dos indicadores positivos. Esses resultados apontam para um ambiente que reflete os problemas de assimetria informacional e que órgãos reguladores devem desenvolver políticas para monitorar a discricionariedade sobre as Demonstrações Financeiras que possam prejudicar os agentes do mercado.

Biografia do Autor

Luiz Henrique Fernandes Vargas, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Espírito Santo (IFES)
Mestre em Ciências Contábeis pela Universidade Federal do Espírito Santo
José Elias Feres de Almeida, Professor Adjunto II na Universidade Federal do Espírito Santo (UFES)
Doutor em Controladoria e Contabilidade pela Universidade de São Paulo (USP)
Elizeu Maria Júnior, Professor Assistente I na Universidade Federal do Espírito Santo
Mestre em Ciências Contábeis pela Universidade Federal do Espírito Santo

Referências

Aerts, W. (2005). Picking up the pieces: impression management in the retrospective attributional framing of accounting outcomes. Accounting, Organizations and Society, 30(6), 493-517. doi: 10.1016/j.aos.2004.07.001.

Bardin, L. (2007). Análise de conteúdo (3ª ed.). Lisboa: Edições 70.

Beattie, V. A. & Jones, M. J. (2000). Impression management: the case of inter-country financial graphs. Jornal of International Accounting, Auditing & Taxation, 9(2), 159-183. doi: 10.1016/S1061-9518(00)00030-6.

Beattie, V. A. & Jones, M. J. (2002). Measure distortion of graphs in corporate reports: an experimental study. Accounting, Auditing & Accountability Journal, 15(4), 546-564. doi: 10.1108/09513570210440595.

Bloomfield, R. (2008). Discussion of “annual report readability, current earnings, and earnings persistence”. Journal of Accounting and Economics, 2(3), 248-252. doi: 10.1016/j.jacceco.2008.04.002.

Brennan, N., Guillamón-Saorín, E. & Pierce, A. (2009). Methodological Insights: Impression management: developing and illustrating a scheme of analysis for narrative disclosures – a methodological note. Accounting, Auditing & Accountability Journal, 22(5), 789-832. doi: 10.1108/09513570910966379.

Clatworthy, M. A. & Jones, M. J. (2006). Diferential patterns of textual characteristics and company performance in the chairman’s statement. Accounting, Auditing & Accountability Journal, 19(4), 493-511. doi: 10.1108/09513570610679100.

Gallon, A. V. & Beuren, I. M. (2007). Análise do conteúdo da evidenciação nos relatórios da administração das empresas participantes dos níveis de governança da Bovespa. UnB Contábil, 10(2), 11-42.

Guimarães, T. N. (2011). Conflito de informações em relatórios anuais: um comparativo entre seções narrativas e o desempenho financeiro de empresas listadas na Bovespa. Dissertação de mestrado, Fundação Instituto Capixaba de Pesquisas em Contabilidade, Economia e Finanças, Vitória, ES, Brasil. Recuperado de http://www.fucape.br/_public/producao_cientifica/8/Disserta%C3%A7%C3%A3o%20Thiago%20Neiva%20Guimaraes.pdf

Hendriksen, E. S. & Breda, M. F. van (2009). Teoria da Contabialidade (5ª ed.). São Paulo: Atlas.

Instrução CVM n. 457, de 13 de julho de 2007 (2007). Dispõe sobre a elaboração e divulgação das demonstrações financeiras consolidadas, com base no padrão contábil internacional emitido pelo International Accounting Standards Board - IASB. Diário Oficial da União. Brasília, DF: Comissão de Valores Mobiliários-CVM.

Iudícibus, S. (2010). Teoria da Contabilidade (10ª ed.). São Paulo: Atlas.

Jensen, M. C. & Meckling, W. H. (1976). Theory of the firm: Managerial Behavior, Agency Costs and Ownership Structure. Journal of Financial Economics, 3(4), 305 – 360. doi: 10.1016/0304-405X(76)90026-X.

Lopes, J. E. G., Ribeiro, J. F., Filho, Pereira, D. M. V. G., Pederneiras, M. M. M., Silva, F. D. C. da & Santos, R. (2010). Um estudo da relação entre o lucro contábil e o disclosure das companhias abertas do setor de materiais básicos. Revista de Administração e Contabilidade da Unisinos – BASE, 7(3), 208-220.

Lopes, A. B. & Martins, E. (2005). Teoria da contabilidade uma nova abordagem. São Paulo: Atlas.

Mendonça, J. R. C. & Amantino-De-Andrade, J. (2003). Gerenciamento de impressões: em busca de legitimidade organizacional. Revista de Administração de Empresas – RAE, 43(1), 36-48.

Osma, B. G. & Guillamón-Saorín, E. (2011). Corporate governance and impression managemente in annual results press releases. Accounting, Organizations and Society, 4(5), 187-208. doi: 10.1016/j.aos.2011.03.005.

Patelli, L. & Pedrini, M. (2013). Is the optimism in CEO´s letters to shareholders sincere? Impression management versus communicative action during the economic crisis. Journal of Business Ethics, 1(10), 1-16. doi: 10.1007/s10551-013-1855-3.

Plagliarussi, M. S. & Scotá, R. (2009). O uso do disclosure narrativo em relatórios anuais corporativos para inferência da continuidade das empresas. Revista de Contabilidade e Organizações – FEARP/USP, 3(5), 3-24.

Silva, C. A. T. & Rodrigues, F. F. (2006, julho). Análise das variáveis que influenciam as informações divulgadas nos relatórios da administração das companhias abertas brasileiras: um estudo empírico nos anos de 2001 a 2003. Anais do Congresso USP de Controladoria e Contabilidade, São Paulo, SP, Brasil, 6.

Silva, C. A. T. & Rodrigues, F. F. (2006). Análise das variáveis que influenciam as informações divulgadas nos relatórios da administração das companhias abertas brasileiras: um estudo empírico nos anos de 2001 a 2003. Anais do Congresso USP de Controladoria e Contabilidade, São Paulo, SP, Brasil.

Silva, C. A. T., Rodrigues, F. F & Abreu, R. L. (2007). Análise dos relatórios de administração das companhias abertas brasileiras: um estudo do exercício social de 2002. Revista de Administração Contemporânea – RAC, 11(2), 71-92.

Tessarolo, I. F., Pagliarussi, M. S. & Luz, A. T. M. (2010). The justification of organizational performance in annual report narratives. Brazilian Administration Review - BAR, 7(2), 198-212.

Publicado
16-11-2014
Como Citar
Fernandes Vargas, L. H., de Almeida, J. E. F., & Júnior, E. M. (2014). Lucro e prejuízo sob a perspectiva da administração: como os resultados são apresentados nos relatórios de administração?. Revista De Educação E Pesquisa Em Contabilidade (REPeC), 8(4). https://doi.org/10.17524/repec.v8i4.1119
Seção
Artigos