IMPAIRMENT NO GOODWILL: UMA ANÁLISE BASEADA NA DIVULGAÇÃO CONTÁBIL

  • Josilene da Silva Barbosa
  • Silvia Consoni Máster en Contabilidad por la Universidad Federal de Paraná –UFPR
  • Luciano Márcio Scherer Doutor em Controladoria e Contabilidade pela Universidade de São Paulo – USP
  • Ademir Clemente Pós-doutorado pela Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ
Palavras-chave: Evidenciação. Regulação. Impairment. Goodwill.

Resumo

Este estudo objetivou verificar se as empresas brasileiras de capital aberto divulgaram informações sobre o teste de Impairment no goodwill, no período de 2009 a 2011. A elaboração de uma métrica com itens compulsórios de divulgação permitiu obter um índice de atendimento à norma e levantar quais informações as empresas têm divulgado. Os resultados indicam que em 2009 a maioria das empresas não evidenciou nenhuma informação exigida para o teste de Impairment no goodwill. No entanto, em 2010 e 2011, o percentual de empresas que nada evidenciaram sobre os procedimentos adotados para o teste decresceu. Aliado a isto, há indicativo de que o índice de evidenciação, em média, aumentou no decorrer do período analisado, porém mostra-se bastante heterogêneo. Informações sobre a taxa de desconto e a descrição da UGC não estiveram entre as informações mais evidenciadas. Os reflexos decorrentes de uma possível mudança na premissa-chave foi o item cuja divulgação foi a mais negligenciada pelas empresas em todos os anos. Como sugere a análise, esses resultados podem estar atrelados à adaptabilidade das empresas aos procedimentos de teste de Impairment, mas também podem decorrer das características de concentração de direitos de controle das empresas. Em linhas gerais, o aumento ao longo do período analisado no percentual de divulgação das premissas do teste de Impairment no goodwill não foi suficiente para reduzir as diferenças de divulgação apresentadas entre as empresas. Além disso, pôde-se perceber que muitas empresas não apresentaram consistência na divulgação dos itens da métrica de um ano para outro.

Biografia do Autor

Josilene da Silva Barbosa
Mestre em Contabilidade pela Universidade Federal do Paraná –UFPR
Silvia Consoni, Máster en Contabilidad por la Universidad Federal de Paraná –UFPR
Mestre em Contabilidade pela Universidade Federal do Paraná –UFPR
Luciano Márcio Scherer, Doutor em Controladoria e Contabilidade pela Universidade de São Paulo – USP
Professor da Universidade Federal do Paraná – UFPR
Ademir Clemente, Pós-doutorado pela Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ
Professor da Universidade Federal do Paraná – UFPR

Referências

Albani, P. C. & Almeida, J. E. F. (2012). Teste de impairment de ativos: análise comparativa da evidenciação das companhias abertas listadas no novo mercado por setor da economia e auditoria. Anais do Congresso USP de Iniciação Científica em Contabilidade, São Paulo-SP, Brasil, 9. Recuperado em 24 setembro, 2013, de http://www.congressousp.fipecafi.org/artigos122012/598.pdf.

Andrade, A. & Rossetti, J. P. (2006). Governança Corporativa. 2 ed. São Paulo: Atlas.

Avelino, B. C., Pinheiro, L. E. T. & Lamounier, W. M. (2012). Evidenciação de ativos intangíveis: estudo empírico em companhias abertas. Revista de Contabilidade e Organizações, 6(14), pp. 22-45.

Ball, R. (2006). International Financial Reporting Standards (IFRS): pros and cons for investors. Accounting & Business Research, 36(Sup.1), pp. 5-27.

Ball, R., Kothari, S. P. & Robin, A. (2000). The effect of institutional factors on properties of accounting earnings. Journal of Accounting and Economics. 29(1), pp. 1-51.

Ball, R., Robin, A. & Wu, J. S. (2003). Incentives versus standards: properties of accounting income in four East Asian countries. Journal of Accounting and Economics. 36(1-3), pp. 235-270.

Barth, M. E., Beaver, W. H. & Landsman, W. R. (2001). The relevance of value-relevance literature for financial accounting standard setting: another view. Journal of Accounting and Economics, 31(1-3), pp. 77-104.

Barth, M. E., Landsman, W. R. & Land, M. H. (2008). International accounting standards and accounting quality. Journal of Accounting Research, 46(3), pp. 467-498.

BM&FBOVESPA. (2013, junho). Governança corporativa. Recuperado 5 junho, 2013, de http://www.bmfbovespa.com.br/cias-listadas/consultas/governanca-corporativa/governanca-corporativa.aspx?idioma=pt-br.

Beyer, A., Cohen, D. A., Lys, T. Z. & Walther, B. R. (2010). The financial reporting environment: Review of the recent literature. Journal of Accounting and Economics, 50(2-3), pp. 296-343.

Bens, D. A., Heltzer, W. & Segal, B. (2011). The information content of goodwill impairments and the adoption of SFAS 142. Journal of Accounting Auditing & Finance, 26(3), pp. 527-557.

Bini, M. & Bella, C. D. (2007). Determinants of market reactions to goodwill write-off after SFAS-142. Managerial Finance, 33(11), pp. 904-914.

Botosan, C. A. (2006). Disclosure and the cost of capital: what do we know?. Accounting and Business Research, 36(Supl. 1), pp. 31-40. DOI: 10.1080/00014788.2006.9730042

Bushee, B. J. & Leuz, C. (2005). Economic consequences of SEC disclosure regulation: evidence from the OTC bulletin board. Journal of Accounting and Economics, 39, pp. 233-264.

Carlin, T. M., Finch, N. & Fprd, G. (2007). Goodwill impairment: an assessment of disclosure quality and compliance levels by large listed Australian firms. Recuperado em 5 janeiro, 2013, de http://dx.doi.org/10.2139/ssrn.963078.

Carvalho-Da-Silva, A. L. (2004). Governança corporativa, valor, alavancagem e política de dividendos das empresas brasileiras. Revista de Administração da USP, 39(4), pp.348-36.

CARVALHO, C., RODRIGUES, A. M., & FERREIRA, C. (2010). Imparidade do goodwill na transição para a IFRS 3: o caso português. Estudos do ISCA, n.1.

Carvalho, C., Rodrigues, A. M. & Ferreira, C. (2010). Imparidade do goodwill na transição para a IFRS 3: o caso português. Estudos do ISCA, (1) DOI: http://dx.doi.org/10.1234/ei.v0i1.568

Comissão de Valores Mobiliários (CVM). (2007). Ofício-Circular/CVM/SNC/SEP n. 01/2007. Recuperado em 18 janeiro, 2013, de http://www.cvm.gov.br/port/atos/oficios/OFICIO-CIRCULAR-CVM-SNC-SEP-01_2007.asp.

________. (2009). Deliberação CVM n. 580, de 31 de julho de 2009. Recuperado em18 fevereiro, 2013, de http://www.cvm.gov.br/port/snc/deli580.pdf.

________. (2011). Deliberação CVM n. 665, de 04 de agosto de 2011. Recuperado em 18 fevereiro, 2013, de http://www.cvm.gov.br/port/infos/Comunicado_665_666_667.asp.

Comitê de Pronunciamentos Contábeis (CPC). (2010). Pronunciamento Técnico CPC 01 (R1): Redução ao valor recuperável de ativos. Recuperado em 20 janeiro, 2013, de www.cpc.org.br/.

________. (2010). Pronunciamento Técnico CPC 04 (R1): Ativo intangível. Recuperado em 20 janeiro, 2013, de www.cpc.org.br/.

________. (2011). Pronunciamento Técnico CPC 15 (R1): Combinação de negócios. Recuperado em 20 janeiro, 2013, de www.cpc.org.br/.

Daske, H., Hail, L., Leuz, C. & Verdi, R. (2013). Adopting a label: heterogeneity in the economic consequences of IFRS adoptions. Journal of Accounting Research, 51(3), pp. 495-547.

Devalle, A. & Rizzato, F. (2012). The quality of mandatory disclosure: the impairment of goodwill. An empirical analysis of European listed companies. Procedia Economics and Finance, 2, pp. 101-108. doi: 10.1016/S2212-5671(12)00069-X

_________. (2001). An evaluation of ‘‘essays on disclosure’’ and the disclosure literature in accounting. Journal of Accounting and Economics, 32, pp. 181–235.

Frost, C. A., Gordon, E. A. & Hayes, A. F. (2006). Stock exchange disclosure and Market development: an analysis of 50 international exchanges. Journal of Accounting Research, 44(3), pp. 437-483. DOI: 10.1111/j.1475-679X.2006.00208.x

Healy, P. M. & Palepu, K. G. (2001). Information asymmetry, corporate disclosure and capital markets: a review of empirical disclosure literature. Journal of Accounting and Economics, 31(1-3), pp. 405-440.

La Porta, R., Lopes-de-Silanes, F. & Shleifer, A. (1999). Corporate ownership around the world. Journal of Finance, 54(2), pp. 471-517.

Leftwich, R. (1980). Market failure fallacies and accounting information. Journal of Accounting and Economics, 2(3), pp. 193-211.

Leuz, C. (2006). Cross listing, bonding and firms reporting incentives: a discussion of Lang, Raedy and Wilson. Journal of Accounting and Economics, 42(1-2), pp. 285-299.

Leuz, C. & Verrecchia, R. E. (2000). The economic consequences of increased disclosure. Journal of Accounting Research. 38(Supl.), pp. 91-124.

Li, Z., Shroff, P. K., Venkataraman, R. & Zhang, I. X. (2011). Causes and consequences of goodwill impairment loss. Review Accounting Studies, 16(4), pp. 745-778.

Lima, G. A. S. F. (2009). Nível de evidenciação x custo da dívida das empresas brasileiras. Revista Contabilidade & Finanças, 20(49), pp. 95-108.

Lopes, A. & Alencar, R. (2010). Disclosure and cost of equity capital in emerging markets: the Brazilian case. The International Journal of Accounting, 45(4), pp. 443-464.

Machado, E. A., Cruz, A. P C., Takamatsu, R. T. & Lima, G. A. S. F. (2013). Evidências de disclosure de valor recuperável de ativos em firmas listadas no mercado acionário brasileiro. Revista Universo Contábil, 9(1), pp. 86-103.

Martins, E., Almeida, D. L., Martins, E. A. & Costa, P. S. (2010). Goodwill: uma análise dos conceitos utilizados em trabalhos científicos. Revista Contabilidade & Finanças, 21(52), pp. 1-25.

Martins, E., Diniz, J. A. & Miranda, G. J. (2012). Análise avançada das demonstrações contábeis: uma abordagem crítica. São Paulo: Atlas.

Moura, G. D., Dallabona , L. F., Fank, O. L. & Varela, P. S. (2011). Boas Práticas de Governança Corporativa e Evidenciação Obrigatória dos Ativos Intangíveis. Anais do Congresso USP de Controladoria e Contabilidade, 11, São Paulo, SP, Brasil. Recuperado em 9 maio, 2013, de http://www.congressousp.fipecafi.org/artigos112011/507.pdf.

Oliveira, V. A. & Lemes, S. (2011). Nível de convergência dos princípios contábeis brasileiros e norte-americanos às normas do IASB: uma contribuição para a adoção das IFRS por empresas brasileiras. Revista de Contabilidade Financeira, 22(56), pp. 155-173.

Ono, H. M., Rodrigues, J. M. & Niyama, J. K. (2010). Disclosure sobre impairment: uma análise comparativa das companhias abertas brasileiras em 2008. Revista de Contabilidade do Mestrado em Ciências Contábeis da UERJ, Rio de Janeiro, 15(1), pp. 67-87.

Pedersen, T. & Thomsen, S. (1997). European patterns of corporate ownership: a twelve-country study. Journal of International Business Studies, 28(4), pp.759-778.

Perramon, J. & Amat, O. (2006). IFRS introduction and its effects on listed companies in Spain. Recuperado em 5 janeiro, 2013, de http://dx.doi.org/10.2139/ssrn.1002516.

Petersen, C. & Plenborg, T. (2010). How do firms implement impairment tests of goodwill? ABACUS, 46(4), pp. 419-446.

Ramanna, K. (2008). The implications of unverifiable fair-value accounting: evidence from the political economy of goodwill accountings. Journal of Accounting and Economics, 45, pp. 253–281. doi:10.1016/j.jacceco.2007.11.006

Rield, E. J. (2004). An examination of long-lived asset impairments. The Accounting Review, 79(3), pp. 823-852.

Santos, E. S. (2012). Análise dos impactos dos CPCs da primeira fase de transição para o IFRS no Brasil: um exame dos ajustes aos resultados nas DFPs de 2008. Revista de Contabilidade e Organizações, 6(15), pp. 23-43.

Santos, E. S. & Calixto, L. (2010). Impactos no início da harmonização contábil internacional (Lei 11.638/07) nos resultados das empresas abertas. Revista Administração de Empresas, 9(1).

Saito, R. & Silveira, A. M. (2010). The importance of tag along rights and identity of controlling shareholders for the price spreads between dual-class shares: The Brazilian case. Brazilian Administration Review, 7(1), pp. 1-21.

Scott, W. R. (2012). Financial accounting theory. 6 ed. Toronto: Pearson.

Shleifer, A. & Vishny, R. (1997). A survey of corporate governance. The Journal of Finance, 52(2), pp. 737-783.

Silva, P. D. A. S., Marques, J. A. V. C. & Santos, O. M. (2009). Análise da evidenciação das informações sobre o impairment dos ativos de longa duração de empresas petrolíferas. Revista Base, 6(3), pp. 258-274.

SILVA, R. L. M. (2013). Adoção completa das IFRS no Brasil: qualidade das demonstrações contábeis e o custo de capital próprio. Tese de doutorado, Programa de Pós-Graduação em Controladoria e Contabilidade, Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo

Silveira, A. M., Leal, R. P. C., Barros, L. A. B. C. & Carvalhal-da-Silva, A. L. (2009). Evolution and determinants of firm-level corporate governance quality in Brazil. Revista de Administração, 44(3), pp. 173-189.

Siffert Filho, N. F. (1998). Governança Corporativa: Padrões internacionais e evidências empíricas no Brasil nos anos 90. Revista do BNDES, 5(9), p. 1-22

Shalev, R. (2009). The information content of business combination disclosure level. The Accounting Review, 84(1), pp. 239-270.

Souza, M. M. S (2011). Perda no valor recuperável de ativos: fatores explicativos do nível de evidenciação das empresas de capital aberto brasileiras. Dissertação de Mestrado, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, SC, Brasil.

Souza, M. M. S., Borba, J. A. & Zandonai, F. (2011). Evidenciação da perda no valor recuperável de ativos nas demonstrações contábeis: uma verificação nas empresas de capital aberto brasileiras. Revista Contabilidade Vista & Revista, 22(2), pp.67-91.

Stenka, R. I., Ormrod, P. & Chan, A. (2008). Accounting for business combinations: the consequences of IFRS adoption for UK listed companies. Recuperado em 05 janeiro, 2013, de http://dx.doi.org/10.2139/ssrn.1276826.

Verrecchia, R. E. (2001). Essays on disclosure. Journal of Accounting and Economics, 32(1-3), pp. 97-180.

Watts, R. L. & Zimmerman, J. L. (1986). The Contracting Process. In Positive Accounting Theory. New Jersey: Prentice Hall.

Welker, M. (1995). Disclosure policy, information asymmetry, and liquidity in equity markets. Contemporary Accounting Research, 11(2), pp. 801-827.

Zucca, L. J. & Campbell, D. R. (1992). A closer look at discretionary write downs of impairment assets. Accounting Horizons, 6(3), pp. 30-41.

Publicado
21-05-2014
Como Citar
Barbosa, J. da S., Consoni, S., Scherer, L. M., & Clemente, A. (2014). IMPAIRMENT NO GOODWILL: UMA ANÁLISE BASEADA NA DIVULGAÇÃO CONTÁBIL. Revista De Educação E Pesquisa Em Contabilidade (REPeC), 8(2). https://doi.org/10.17524/repec.v8i2.1028
Seção
Artigos