RESSONÂNCIA DE ARTIGOS E FATOR DE IMPACTO DE PERIÓDICOS BRASILEIROS DE CONTABILIDADE

  • Iracema Raimunda Brito Neves Aragão Professora da Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS)
  • José Renato Sena Oliveira Professor da Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS)
  • Gerlando Augusto Sampaio Franco de Lima Professor da Universidade de São Paulo (USP)
Palavras-chave: Comunicação científica, Cientometria, Fator de Impacto, Periódicos de Contabilidade

Resumo

Este estudo buscou identificar quais características dos artigos publicados em periódicos contábeis brasileiros estão associadas à ressonância na produção científica. Tem abordagem teórico-empírica e delineamento quantitativo. A estratégia foi o levantamento e a coleta utilizou a análise do conteúdo dos resultados individuais de busca de cada artigo no Google Acadêmico. A amostra compreendeu 577 artigos publicados entre 2006 e 2011 nos 4 periódicos classificados nos estratos superiores do Qualis/CAPES 2012: Contabilidade Vista & Revista, Revista Contabilidade & Finanças, Revista de Contabilidade e Organizações e Revista Universo Contábil. Foram efetuados 1.655 registros categorizados em uma planilha eletrônica, sendo 1.372 citações recebidas e 283 artigos não citados. Utilizou-se o qui-quadrado e a análise de correspondência, além do cálculo do fator de impacto dos periódicos. Os achados demonstraram média de 2,38 citações por artigo e 49,05% dos artigos não foram citados. Há associação entre periódico, ano de publicação e idioma do artigo com citações recebidas por veículo de citação, bem como entre idioma do artigo e país da citação. Os artigos da RC&F receberam 66,33% das citações, sendo o periódico de maior peso para explicar a variabilidade dos dados. O maior fator de impacto em 2011 foi da RC&F (0,861), seguida da CVISTA (0,667), RCO (0,458) e UNIVERSO (0,458), com média geral de 0,578. Concluiu-se que a ressonância da produção científica analisada pode ser considerada baixa, a variabilidade dos dados possui relação com as características dos artigos/periódicos e tem diminuído a distância do fator de impacto entre os periódicos.

Biografia do Autor

Iracema Raimunda Brito Neves Aragão, Professora da Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS)
Doutoranda em Controladoria e Contabilidade (USP)
José Renato Sena Oliveira, Professor da Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS)
Doutorando em Controladoria e Contabilidade (USP)
Gerlando Augusto Sampaio Franco de Lima, Professor da Universidade de São Paulo (USP)
Livre-Docente em Ciências Contábeis (USP)

Referências

Amara, N & Landry, R. (2012). Counting citations in the field of business and management: why use google scholar rather than the web of science. Scientometrics. 93(3), p. 553-581.

Amin, M, & Mabe, M. (2007). Impact factors: use and abuse. Perspectives in Publishing, n. 1, oct. 2000. Reissued with minor revisions October.

Bianco, A. C. (2004). Fator de impacto: boletim do editor? (editorial). Arquivos Brasileiros de Endocrinologia & Metabologia, 48(3). Recuperado em 09 julho, 2012, de http://www.scielo.br/pdf/abem/v48n3/a02v48n3.pdf.

Carmona, S. (2011). In pursuance of successful research. European Accounting Review, 20(1), p. 1-5.

Campello, B. S. (2000). Organizações como fonte de informação. In: Campello, B. S., Cendón, B. V. & Kremer, J. M. (orgs.). Fontes de informação para pesquisadores e profissionais. Belo Horizonte: Ed. UFMG. p. 35-48.

Capes. Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. (2012). Comunicado nº 002/2012: área de administração, ciências contábeis e turismo: atualização do webqualis da área. Recuperado em 08 maio, 2012 de http://qualis.capes.gov.br/arquivos/avaliacao/webqualis/criterios2010_2012/Criterios_Qualis_2011_27.pdf.

Chan, L., & Costa, S. (2005). Participation in the global knowledge commons: challenges and opportunities for research dissemination in developing countries. New Library World. 106(1210/1211), p. 141-163.

Christensen, J. (2011). Good analytical research. European Accounting Review, 20(1), p. 41-51.

Czarniawska, B. (2011). Successful research: in whose eyes? European Accounting Review. 20(1), p. 53–55.

Fávero, L. P., Belfione, P., Silva, F. L., & Chan, B. L. (2009) Análise de dados: modelagem multivariada para a tomada de decisões. Rio de Janeiro: Elsevier.

Flick, U. (2009). Qualidade na pesquisa qualitativa. Trad. Roberto Cataldo Costa. Consultoria, supervisão e revisão técnica Dirceu da Silva. Porto Alegre: Artmed (Coleção Pesquisa Qualitativa, coordenada por Uwe Flick).

Garfield, E. (1972). Citation analysis as a tool in journal evaluation. Essays of an Information Scientist, Vol 1, p. 527-544, 1962-73. Recuperado em 04 julho, 2012 de http://www.elshami.com/Terms/I/impact%20factor-Garfield.pdf.

King, D. A. (2004). The scientific impact of nations: what different countries get for their research spending. Nature. v. 430. Recuperado em 03 julho, 2012 de http://webarchive.nationalarchives.gov.uk/+/http://www.berr.gov.uk/files/file11959.pdf.

Kuramoto, H. (2006). Informação científica: proposta de um novo modelo para o Brasil. Ciência da Informação. Brasília, 35(2), p. 91-201.

Ladle, R. J., Todd, P. A., & Malhado, A. C. M. (2012). Assessing insularity in global science. Scientometrics. 93(3), p. 745-750. Recuperado em 09 julho, 2012 de http://dx.doi.org/10.1007/s11192-012-0703-z.

Lee, T. H., Yap, C. S., Lim, Y. M., & Tam, C. L. (2012). Accounting researchers in Asia Pacific: a study on publication productivity and citation analysis. Asian Journal of Finance & Accounting, 4(1), p.132-150.

Martins, G. de A. & Theóphilo, C. R. (2007). Metodologia da investigação científica para ciências sociais aplicadas. São Paulo: Atlas.

Meadows, A. J. A. (1999). A comunicação científica. Brasília: Briquet de Lemos.

Miranda, D. B. de, & Pereira, M. de N. F. (1996). O periódico científico como veículo de comunicação: uma revisão de literatura. Ciência da Informação, Brasília, 25(3), p.375-382. Recuperado em 22 março, 2013 de http://revista.ibict.br/ciinf/index.php/ciinf/article/viewFile/462/421.

Mueller, S. P. M. (1999). O círculo vicioso que prende os periódicos nacionais. DataGramaZero - Revista de Ciência da Informação, 0. Recuperado em 09 julho, 2012 de http://eprints.rclis.org/bitstream/10760/6189/1/Art_04.htm.

Mueller, S. P. M. (2000). O periódico científico. In: Campello, B. S., Cendón, B. V., & Kremer, J. M. (orgs.). Fontes de informação para pesquisadores e profissionais. Belo Horizonte: Ed. UFMG. p. 73-96.

Nelson, R. R. (1959). The simple economics of basic scientific research. Journal of Political Economy. 67(3), p. 297-306. Published by: The University of Chicago PressStable. Recuperado em03 julho 2012 de http://www.jstor.org/stable/1827448.

Ohlson, J. A. (2011). On successful research. European Accounting Review, 20(1), p. 7-26.

Packer, A. L. (2001). The SciELO model for electronic publishing and measuring of usage and impact of latin american and caribbean scientific journals. Proceedings of the Second ICSU-UNESCO International Conference on Electronic Publishing in Science, Paris 20–23 February. Recuperado em 04 julho, 2012 de http://eos.wdcb.ru/eps2/unesco.tex/pdf/packerfn.pdf.

Pendlebury, D. A. (2009). The use and misuse of journal metrics and other citation indicators. Arch. Immunol. Ther. Exp, Philadelphia, 57(1), p.1-11. doi: 10.1007/s00005-009-0008-y.

Pinto, A. C., & Andrade, J. B. de. (1999). Fator de impacto de revistas científicas: qual o significado deste parâmetro? Química Nova, São Paulo, 22(3), p.448-453. Recuperado em 22 março, 2013 de http://www.scielo.br/pdf/qn/v22n3/1101.pdf.

Pinto, L. A. (2008). Cientometria: é possível avaliar a qualidade da pesquisa científica? (Editorial) – Scientia Medica, 18(2), p.64-65. Recuperado em 04 maio, 2012 de http://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/scientiamedica/article/view/3637/3016.

Rosenstreich, D., & Wooliscroft, B. (2009). Measuring the impact of accounting journals using google scholar and the g-index. The British Accounting Review, 41(4), p. 227–239.

Strehl, L. (2005). O fator de impacto do ISI e a avaliação da produção científica: aspectos conceituais e metodológicos. Ciência da Informação, 34(1), p.19-27. Recuperado em 02 julho, 2012 de http://www.scielo.br/pdf/%0D/ci/v34n1/a03v34n1.pdf.

Tahai, A. & Rigbsy, J. (1998). Information processing using citation to investigate journal influence in accounting. Information Processing & Management. 34(2), p. 341-359.

Vanclay, J. K. (2012). Impact factor: outdated artefact or stepping-stone to journal certification? Scientometrics, 92(2), p. 211-238

Vilhena, V., & Crestana, M. F. (2002). Produção científica: critérios de avaliação de impacto. Revista da Associação Médica Brasileira, São Paulo, 48(1), p.1-25. Recuperado em 22 março, 2013 de http://www.scielo.br/pdf/ramb/v48n1/a22v48n1.pdf.

Wang, C. Y. (2012). The intellectual structure of modern accounting research: concepts, theories and relationships. African Journal of Business Management, 6(23), p. 6860 - 6866.

Yamamoto, O. H., Menandro, P. R. M., Koller, S. H., Lo Bianco, A. C., Hutz, C. S., Bueno, J. L. O., & Guedes, M. C. (2002). Avaliação de periódicos científicos brasileiros da área de psicologia. Ciência da Informação, 31(2), p. 163-177.

Publicado
31-12-2013
Como Citar
Aragão, I. R. B. N., Oliveira, J. R. S., & Lima, G. A. S. F. de. (2013). RESSONÂNCIA DE ARTIGOS E FATOR DE IMPACTO DE PERIÓDICOS BRASILEIROS DE CONTABILIDADE. Revista De Educação E Pesquisa Em Contabilidade (REPeC), 8(1). https://doi.org/10.17524/repec.v8i1.1011
Seção
Artigos